sicnot

Perfil

País

GNR reforçou efetivo com 457 novos guardas provisórios colocados no Litoral

A GNR reforçou hoje o efetivo com 457 guardas provisórios, tendo sido dada prioridade à colocação dos novos militares, nos comandos territoriais do litoral, sobretudo na zona do Algarve.

(SIC/ Arquivo)

Segundo a GNR, estes novos elementos, que desde novembro de 2015 estiveram em formação no Centro de Formação de Portalegre, iniciam a fase prática do plano curricular ao integrarem o reforço do dispositivo no âmbito da operação "verão seguro".

Em comunicado, a Guarda Nacional Republicana refere que a distribuição dos guardas provisórios pelo país teve por base o esforço de segurança exigido à corporação durante estes meses de verão.

A GNR adianta que foi "dado prioridade" aos comandos territoriais com responsabilidade junto ao litoral, sobretudo para a zona do Algarve.

De acordo com aquela força de segurança, Faro foi reforçado com 90 guardas provisórios, Setúbal com 50, Lisboa com 40, Aveiro e Leiria com 35 cada um.

A GNR refere ainda que o reforço do efetivo coincide com o aumento de meios da operação "verão seguro", que tem como objetivo o aumento das ações de patrulhamento e apoio na área de responsabilidade da GNR, nomeadamente nas zonas de praia, festas, romarias e eventos de grande dimensão, bem como nos principais eixos rodoviários.

Lusa

  • "É mais um notável tiro no pé de Passos Coelho"
    4:04

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite, a polémica em torno de Pedro Passos Coelho, depois do presidente do PSD ter pedido desculpas por ter "usado informação não confirmada", ao falar na existência de suicídios, depois desmentidos, como consequência da falta de apoio psicológico na tragédia de Pedrógão Grande. Sousa Tavares considera que Passos Coelho deu "mais um tiro no pé" e defende que o líder da oposição "está notoriamente desgastado" e "caminha para uma tragédia eleitoral autárquica".

    Miguel Sousa Tavares

  • Este texto é sobre o bom senso. O bom senso que faltou a Passos Coelho quando, esta manhã, depois de uma visita pelas áreas ardidas de Pedrógão Grande, decidiu falar em suicídios. Passos não se referiu a tentativas, mas sim a atos consumados. Deu certezas. Disse que tinha conhecimento de “pessoas que puseram termo à vida” porque “que não receberam o apoio psicológico que deviam.”

    Bernardo Ferrão

  • Simplex+2017 promete simplificar burocracia
    1:08

    País

    Já está online o novo Simplex+2017, que vai simplificar a vida dos cidadãos, empresas e administração pública. Pagar impostos com cartão de crédito e ter o cartão de cidadão ou a carta de condução no telemóvel são alguns exemplos do que está previsto.

  • Homem fala ao telefone com o filho que pensava estar morto

    Mundo

    Um norte-americano que tinha estado presente no funeral do filho recebeu, 11 dias depois, uma chamada telefónica de um homem que o pôs em contacto... com o filho que havia enterrado semana e meia antes. Tudo por causa de um erro do gabinete de medicina legal.