sicnot

Perfil

País

Presidente da República desconhece visita de homólogo da Guiné Equatorial a Portugal

O presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse hoje desconhecer a visita a Portugal do homólogo da Guiné Equatorial, na próxima sexta-feira.

ANT\303\223NIO COTRIM

O presidente da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang Nguema, visita a sede da Comunidade de Países de Língua Oficial Portuguesa (CPLP), em Lisboa, adiantou à agência Lusa fonte da organização.

"Eu não estou na sede da CPLP, mas eu nem sabia que vinha cá", respondeu o presidente português, em declarações à Lusa.

"Vou ver", acrescentou o chefe de Estado, à margem de uma visita ao espaço cultural Miguel Torga, em Sabrosa, Vila Real, no âmbito da iniciativa "Portugal Próximo", durante a qual visitará durante dois dias e meio os distrito de Vila Real, Bragança e Guarda.

A visita do Presidente equato-guineense à sede da CPLP decorre a convite pessoal do secretário-executivo da organização lusófona, Murade Murargy.

A fonte da organização não soube adiantar qual a agenda de Teodoro Obiang Nguema em Portugal.

A Guiné Equatorial aderiu à CPLP em julho de 2014, na reunião de chefes de Estado e de Governo realizada em Díli, Timor-Leste.

Em declarações à Lusa no mês passado, o ministro dos Negócios Estrangeiros português, Augusto Santos Silva, afirmou que o Governo não convidou Teodoro Obiang a visitar Portugal, ressalvando que um eventual convite teria de ser feito "a outro nível", ou seja, através da Presidência portuguesa.

Mas, adiantou, o executivo "olhará com atenção para o programa e para os interesses que possa haver".

Lusa

  • Trabalharia horas extra sem ser pago? E feriados?  
    1:25
  • UE dá "luz verde" para início das negociações do Brexit

    Brexit

    Os 27 Estados-membros da União Europeia aprovaram esta segunda-feira a autorização para o início das negociações do Brexit, indicando formalmente o final de junho para início do processo de saída do Reino Unido, que se prolongará por dois anos.

  • Donald Trump em Israel
    2:14
  • Regras secretas do Facebook permitem divulgação de imagens violentas

    Mundo

    A política interna da empresa Facebook defende que nem todos os vídeos violentos publicados na rede social devem ser apagados porque "não quer censurar ou punir pessoas em perigo". A revelação é feita pelo jornal britânico The Guardian após uma investigação em que conseguiu ter acesso ao manual interno.