sicnot

Perfil

País

Autoeuropa com 300 postos de trabalho em risco

Pelo menos 300 trabalhadores do Parque Industrial da Autoeuropa em Palmela estão em risco de perder o trabalho devido à quebra de produção, que deverá durar até meados do proximo ano, revelam as comissões de trabalhadores.

(SIC/ Arquivo)

A Coordenadora das Comissões de Trabalhadores do Parque Industrial da Autoeuropa admite que cerca de 300 trabalhadores estão em risco de perder o emprego devido à quebra de produção naquela fábrica, que se deverá prolongar até meados de 2017.

"De acordo com o levantamento efetuado pelas Organizações Representativas dos Trabalhadores (ORT), as empresas do Parque Industrial poderão vir a despedir, pelo menos, 300 trabalhadores", disse Daniel Bernardino, da Coordenadora das Comissões de Trabalhadores, à agência Lusa.

Haverá empresas, como a Faurécia, que deverão despedir apenas 20 trabalhadores, quando a expectativa dos próprios apontavam para cerca de 40, mas também há casos em que o número de trabalhadores despedidos deverá ultrapassar largamente as estimativas das Comissões de Trabalhadores, como acontece na Vampro, em que a própria empresa pretende prescindir de cerca de 60 funcionários.

"Teria sido bom que as administrações das empresas do parque industrial se tivessem disponibilizado para reunir com a Coordenadora das Comissões de Trabalhadores, para ouvirem a nossa opinião e conhecer melhor as nossas propostas, mas limitaram-se a dialogar com cada uma dessas empresas, o que é perfeitamente legítimo", disse o sindicalista.

Daniel Bernardino lembrou que já foram solicitadas reuniões urgentes com os ministros da Economia e do Trabalho, com o objetivo de encontrar soluções, designadamente na área da formação, que será necessária quando a Autoeuropa começar a produzir um novo modelo, no segundo semestre de 2017.

A fábrica de automóveis da Autoeuropa, em Palmela, vai reduzir o período laboral para apenas um turno a partir de setembro, mas a empresa conseguiu encontrar soluções, passando por planos de formação, que permitem evitar despedimentos até ao início de produção do novo modelo.

Uma realidade distinta do que poderá vir a acontecer nas outras 13 empresas deste parque, com cerca de 1.600 trabalhadores que, de acordo com as estimativas anunciadas pelas Comissões de Trabalhadores, admitem eliminar, temporariamente, cerca de 300 postos de trabalho.

Com Lusa

  • Principais factos da acusação no caso BPN dados como provados

    País

    O coletivo de juízes responsável pelo julgamento do processo principal do caso BPN interrompeu perto das 13:00 a leitura do acórdão iniciada pelas 10:30. Os principais factos da acusação são dados como provados, mas a leitura deverá demorar algumas horas.

  • Greve na Função Pública vai afetar escolas, saúde e cultura

    País

    A greve nacional convocada para sexta-feira pela Federação Nacional dos Sindicatos da Função Pública (FNSTFPS) deverá afetar as escolas, a área da saúde e ainda da cultura, entre outros serviços, afirmou esta quarta-feira a dirigente sindical, Ana Avoila.

  • Papa pede a Trump para ser pacificador
    1:12
  • Supremo confirma condenação de Messi por fraude fiscal

    Desporto

    O Supremo Tribunal de Justiça espanhol confirma a condenação de Lionel Messi por fraude fiscal. A notícia foi avançada pelo El País. O jogador do Barcelona foi condenado a 21 meses de prisão por três crimes fiscais que lesaram o Estado em 4,1 milhões de euros.

  • Autódromo do Estoril está ilegal há 45 anos

    Desporto

    De acordo com o Público este equipamento desportivo, inaugurado na década de 70, não tem licença de construção nem de utilização. Uma notícia que apanhou de surpresa o executivo camarário de Cascais, liderado por Carlos Carreiras.

  • Seca na Bacia do Sado exige restrições ao uso da água no Alentejo

    País

    A Agência Portuguesa do Ambiente aprovou hoje um conjunto de medidas para gestão dos recursos hídricos, definindo medidas específicas para a bacia hidrográfica do Sado, a única que se encontra em situação de seca. Além da diminuição de regas em hortas e jardins, a APA recomenda o encerramento das fontes decorativas, a proibição de encher piscinas e de lavagem de automóveis.