sicnot

Perfil

País

Comandantes de esquadras alertam para desmotivação na PSP

Subcomissários da PSP alertaram o diretor nacional daquela polícia para "a desmotivação, descontentamento, incerteza" que existe naquela força de segurança, em que os polícias se sentem "profundamente maltratados", e exigem uma "mudança urgente".

"A desmotivação, o descontentamento, a incerteza e diríamos até mais, a desconfiança, reina no seio da PSP", referem os subcomissários, que na maioria desempenham funções de comandantes de esquadras, num manifesto enviado ao diretor nacional da PSP, superintendente-chefe Luís Farinha, por ocasião do aniversário da Polícia de Segurança Pública.

Na carta, os subcomissários oriundos do Instituto Superior de Ciências Policiais e Segurança Interna chamam a atenção para "a degradação das condições de trabalho e aumento considerável da desmotivação, conduzindo a PSP para uma realidade profissional que se tornou insustentável".

Os profissionais dizem sentir-se "profundamente maltratados pela direção nacional" e recusam-se a "aceitar a situação decadente para a qual somos arrastados", dando conta do "absoluto desprezo e falta de reconhecimento" do trabalho que desenvolvem.

Os subcomissários falam de situações de polícias que "não sabem o que lhes vai acontecer", nomeadamente quando podem ir para a aposentação ou pré-reforma.

Estagnação das carreiras, concursos de promoção, compensação de trabalho extra horário, remuneração inferior às funções exercidas são algumas das questões que urge resolver, além da regulamentação de várias matérias prevista no estatuto profissional da PSP.

No manifesto, os subcomissários destacam o trabalho desenvolvido pelos agentes e chefes, que vão além das suas obrigações: "Estes profissionais, há muito descrentes, desmotivados e alguns até revoltados, têm dado cumprimento à sua função, pelo profissionalismo que lhes é inerente, mas muito pelo esforço e dedicação dos subcomissários que, na atual conjuntura, são os únicos que os conseguem aglutinar na prossecução do objetivo traçado".

Os comandantes de esquadras relembram uma carta enviada à tutela, em 2012, pelos superintendentes (cargo mais elevado na PSP), na qual alertavam para o "descontentamento em todas as categorias hierárquicas", que poderá potenciar "a motivação, coesão e disciplina".

Para os subcomissários, esta motivação, coesão e disciplina "está em rutura iminente, assim como a quebra da cadeia de comando, que devia assentar essencialmente na confiança".

Os subcomissários pedem ainda "um processo de mudança" na PSP e manifestam "total disponibilidade" para ajudar a encontrar soluções que ajudem a ultrapassar a atual conjuntura.

Lusa

  • Cinco anos depois do incêndio na Serra do Caldeirão
    5:24
  • Destaques económicos que marcaram a semana
    2:03

    Economia

    A semana ficou marcada pela tragédia provocada pelos incêndios no centro do país. No entanto importa olhar para o que se passou noutras áreas e fazer um resumo das notícias relacionadas com a economia. 

  • Martin Schulz ataca Merkel a três meses das legislativas

    Mundo

    O social-democrata alemão Martin Schulz passou este domingo à ofensiva, a três meses das eleições legislativas, ao acusar Angela Merkel de "arrogância" e de sabotar a "democracia", quando as sondagens apontam para uma larga vantagem da chanceler da Alemanha.

  • Martha, a cadela mais feia do mundo
    0:42

    Mundo

    A cadela Martha, de raça mastim napolitano ficou em primeiro lugar na edição anual do concurso que elege os cães mais feios do mundo. A cadela tem três anos, pesa 57 quilos e foi resgatada pela dona quando estava praticamente cega. Acabou por recuperar a visão depois de várias operações. Martha e a dona receberam um prémio de 1.500 dólares e uma viagem a Nova Iorque para marcarem presença em programas de televisão.