sicnot

Perfil

País

Comandantes de esquadras alertam para desmotivação na PSP

Subcomissários da PSP alertaram o diretor nacional daquela polícia para "a desmotivação, descontentamento, incerteza" que existe naquela força de segurança, em que os polícias se sentem "profundamente maltratados", e exigem uma "mudança urgente".

"A desmotivação, o descontentamento, a incerteza e diríamos até mais, a desconfiança, reina no seio da PSP", referem os subcomissários, que na maioria desempenham funções de comandantes de esquadras, num manifesto enviado ao diretor nacional da PSP, superintendente-chefe Luís Farinha, por ocasião do aniversário da Polícia de Segurança Pública.

Na carta, os subcomissários oriundos do Instituto Superior de Ciências Policiais e Segurança Interna chamam a atenção para "a degradação das condições de trabalho e aumento considerável da desmotivação, conduzindo a PSP para uma realidade profissional que se tornou insustentável".

Os profissionais dizem sentir-se "profundamente maltratados pela direção nacional" e recusam-se a "aceitar a situação decadente para a qual somos arrastados", dando conta do "absoluto desprezo e falta de reconhecimento" do trabalho que desenvolvem.

Os subcomissários falam de situações de polícias que "não sabem o que lhes vai acontecer", nomeadamente quando podem ir para a aposentação ou pré-reforma.

Estagnação das carreiras, concursos de promoção, compensação de trabalho extra horário, remuneração inferior às funções exercidas são algumas das questões que urge resolver, além da regulamentação de várias matérias prevista no estatuto profissional da PSP.

No manifesto, os subcomissários destacam o trabalho desenvolvido pelos agentes e chefes, que vão além das suas obrigações: "Estes profissionais, há muito descrentes, desmotivados e alguns até revoltados, têm dado cumprimento à sua função, pelo profissionalismo que lhes é inerente, mas muito pelo esforço e dedicação dos subcomissários que, na atual conjuntura, são os únicos que os conseguem aglutinar na prossecução do objetivo traçado".

Os comandantes de esquadras relembram uma carta enviada à tutela, em 2012, pelos superintendentes (cargo mais elevado na PSP), na qual alertavam para o "descontentamento em todas as categorias hierárquicas", que poderá potenciar "a motivação, coesão e disciplina".

Para os subcomissários, esta motivação, coesão e disciplina "está em rutura iminente, assim como a quebra da cadeia de comando, que devia assentar essencialmente na confiança".

Os subcomissários pedem ainda "um processo de mudança" na PSP e manifestam "total disponibilidade" para ajudar a encontrar soluções que ajudem a ultrapassar a atual conjuntura.

Lusa

  • PSD está a "perder terreno" na escolha de candidato a Lisboa
    1:46

    País

    Quem o diz é Luís Marques Mendes: o PSD perde na demora da escolha de um candidato para a Câmara de Lisboa. O líder Passos Coelho rejeita apoiar a candidatura de Assunção Cristas e garante que o partido vai ter um candidato próprio. Segundo o comentador da SIC, o último convite foi dirigido a José Eduardo Moniz.

  • Trump não escreve todos os tweets, mas dita-os

    Mundo

    O Presidente eleito dos EUA não escreve todos os tweets que são publicados na sua conta desta rede social, mas dita-os aos seus funcionários. Numa entrevista a um ex-secretário de Estado britânico, Donald Trump explica como usa a sua conta e garante que depois de ser investido Presidente, vai continuar a usar o Twitter para defender-se da "imprensa desonesta".

  • Depressão pode ser mais prejudicial para o coração do que a hipertensão

    Mundo

    Um estudo recente estabelece uma nova ligação entre depressão e distúrbios cardíacos. De acordo com a investigação publicada na revista Atheroscleroses, o risco de vir a sofrer de uma doença cardíaca grave é quase tão elevado para os homens que sofram de depressão, do que para os que tenham colesterol elevado ou obesidade, e pode mesmo ser maior do que para os que sofram de hipertensão.

  • "Estar na Web Summit foi dizer em empreendedorês: estamos vivos, estamos aqui!"

    Web Summit

    No seguimento da entrevista à blogger Sara Riobom, que conhecemos durante a WebSummit, trazemos a história de outro jovem português (que não trabalha sozinho) que esteve no evento, em Lisboa, a promover a sua startup. Quis o acaso e as peripécias do direto e do destino que acabasse por receber um visitante ilustre e especial no seu stand: nada mais nada menos do que o primeiro-ministro, António Costa. Recentemente estiveram no Shark Tank, onde conseguiram captar a atenção de um dos “tubarões” do programa da SIC. Mas o que queremos saber é…

    Martim Mariano