sicnot

Perfil

País

Problema informático que levou a pagamento de reembolsos por cheque foi resolvido

A Autoridade Tributária teve um problema informático no dia 30 de junho que a levou a emitir cheques para pagamento de reembolsos, mas o problema "foi prontamente resolvido", os cheques foram cancelados e os reembolsos feitos por transferência bancária.

De acordo com uma informação do Ministério das Finanças, hoje divulgada, a Autoridade Tributária (AT) efetua diariamente milhares de transferências bancárias para pagamento de reembolsos, através do envio de uma ordem de transferência global para o IGCP - Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública.

"No passado dia 30 de junho, houve um problema informático no envio dessa ordem para o IGCP, sendo automaticamente ativado o procedimento de contingência: emissão de cheques. Até ao dia 30 de junho não tinha havido qualquer problema neste sentido e o mesmo foi prontamente resolvido, não tendo voltado a verificar-se", assegura o ministério.

Dado que a situação foi rapidamente resolvida e "para evitar aos cidadãos em causa a demora e o incómodo associados a receberem os reembolsos por cheque", a AT cancelou a emissão de cheques e repetiu a ordem de transferência bancária.

Assim, as ordens de transferência relativas ao dia 30 de junho foram novamente processadas integralmente, como pode ser constatado pelos contribuintes afetados através da consulta no portal das finanças, diz o ministério.

Segundo o Ministério das Finanças, não houve qualquer problema com as transferências ordenadas desde o dia 30 de junho.

De acordo com a mesma fonte, até 31 de maio foram reembolsados 676 milhões de euros, mais 23,2 milhões de euros do que em idêntico período do ano anterior.

Até esta data, tinham sido processados 827 milhões de euros, registando-se um acréscimo de 174 milhões de euros face ao período homólogo.

O Ministério das Finanças estima que durante este ano sejam reembolsados mais 200 milhões de euros.

"O Governo anterior subestimou o custo do quociente familiar e também das deduções. Por este motivo, a receita de IRS projetada no Orçamento do Estado para 2016 inclui o montante de -200 milhões de euros para fazer face a este carry-over negativo", diz o comunicado.

Estes números são maioritariamente relativos à primeira fase da entrega do IRS, ou seja, às declarações de rendimentos das categorias A (trabalho dependente) e H (pensões).

Relativamente ao IVA, até 31 de maio foram reembolsados 2018,5 milhões de euros, mais 227,1 milhões de euros que em idêntico período do ano anterior.

"Nos primeiros três meses de 2015, o montante de reembolsos pagos foi anormalmente baixo na sequência das alterações nas regras dos mesmos. Este efeito ir-se-á esbater ao longo dos meses, contribuindo para acelerar a taxa de crescimento homóloga acumulada da receita do IVA", diz o ministério.

Lusa

  • Mais um atraso no reembolso do IRS
    2:01

    Economia

    Centenas de contribuintes estão a reclamar por mais um atraso no reembolso do IRS. Na Autoridade Tributária é dada indicação de transferência bancária, depois criação de cheque e de novo transferência sem que os contribuintes recebam o dinheiro. O Ministério das Finanças diz que se tratou de um problema informático já resolvido.

  • "A banca parece que não aprendeu nada com a bolha imobiliária de 2008"
    3:23

    Opinião

    O Governo quer limitar a venda de produtos financeiros pelos bancos. Está no parlamento uma proposta de lei que penaliza as más práticas comerciais e tenta proteger os clientes, evitando abusos e encargos excessivos e obrigando os bancos a prestarem-lhes mais informação. A proposta prevê ainda que seja dada mais formação aos funcionários. Miguel Sousa Tavares considera a decisão do Governo acertada uma vez que protege os interesses dos clientes. O comentador da SIC faz ainda referência ao ano 2008, início da crise no ramo imobiliário por "culpa dos credores".

    Miguel Sousa Tavares

  • PSP apreende 11 armas e 700 quilos de droga
    0:59

    País

    A PSP recuperou mais três das 57 pistolas Glock que foram dadas como desaparecidas da Direção Nacional da Polícia de Segurança Pública, há mais de um ano. As armas foram apreendidas na última madrugada durante uma operação de combate ao tráfico de estupefacientes. Três pessoas foram detidas. Além das três Glock que pertenciam à PSP, foram aprendidas mais 11 armas e 700 quilos de droga.

  • Deputados pedem medidas urgentes para travar exploração de urânio junto à fronteira
    3:06

    País

    Um projeto de exploração de urânio no município de Retortilho em Salamanca, a cerca de 40 quilómetros da fronteira portuguesa, está a causar preocupação nos dois países. Portugueses e espanhóis temem o risco de contaminação por via aérea e fluvial. Deputados portugueses visitaram o local, onde pediram medidas firmas e urgentes ao Governo para travar o projeto. As autoridades de Espanha não acionaram o mecanismo de avaliação ambiental partilhada.

  • Trump desafia Oprah a candidatar-se para ser "derrotada como todos os outros"

    Mundo

    Apesar de Oprah Winfrey ter excluído uma eventual candidatura às eleições presidenciais dos Estados Unidos da América, Donald Trump ainda não se esqueceu dos rumores e desafiou a apresentadora a candidatar-se em 2020. Através do Twitter, o Presidente norte-americano disse ainda que assim poderia ser "exposta e derrotada como todos os outros".

    SIC

  • Mulher enterrada viva no Brasil
    1:13

    Mundo

    Uma mulher de 37 anos terá sido enterrada viva no oeste da Bahia, no Brasil. A certidão de óbito aponta um choque séptico como a causa da morte, mas os ferimentos com que foi encontrada no interior do caixão indicam um possível erro. Os moradores de casas vizinhas do cemitério municipal onde Rosângela dos Santos foi enterrada ouviram gritos vindos do túmulo.

  • "Os Estados Unidos são uma sociedade de pistoleiros"
    3:47

    Opinião

    Donald Trump admite regras mais apertadas para quem compra armas, isto após o tiroteio numa escola da Florida que fez 17 mortos. Miguel Sousa Tavares defende que os Estados Unidos da América são "uma sociedade de pistoleiros" e diz que a Associação Nacional de Rifles "gasta muito dinheiro" para conseguir que as leis não sejam mudadas no Senado.

    Miguel Sousa Tavares