sicnot

Perfil

País

Carlos Cruz sai ainda hoje em liberdade

O ex-apresentador de televisão Carlos Cruz, condenado no âmbito do processo Casa Pia, vai sair ainda hoje em liberdade, do Estabelecimento Prisional da Carregueira, Sintra, disse à agência Lusa uma fonte dos serviços prisionais.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Hugo Correia / Reuters

A mesma fonte adiantou à Lusa que já chegou à cadeia a notificação do tribunal sobre a liberdade condicional de Carlos Cruz.

Uma fonte do Tribunal da Relação de Lisboa (TRL) precisou que o acórdão da Relação "foi comunicado de imediato ao Tribunal de Execução de Penas [TEP] e ao estabelecimento prisional, onde o arguido se encontrava detido".

A partir do momento em que segue a notificação do acórdão para o TEP e para o estabelecimento prisional, o arguido pode ser libertado de imediato, sublinhou a mesma fonte.

Inicialmente, Ricardo Sá Fernandes, advogado de Carlos Cruz, disse à Lusa que a saída do seu constituinte só se concretizaria quando o acórdão do TRL baixasse ao TEP, cabendo a esta instância emitir a ordem saída.

Desta forma, Ricardo Sá Fernandes admitiu como improvável a possibilidade de Carlos Cruz sair ainda hoje em liberdade, prevendo que tal só acontecesse dentro de "dois ou três dias".

Carlos Cruz, que já completou dois terços da pena de seis anos de prisão a que foi condenado, no âmbito do processo Casa Pia, venceu um recurso apresentado na Relação de Lisboa, contra a decisão do Tribunal de Execução de Penas (TEP), que, em março, recusou o pedido de liberdade condicional.

O ex-apresentador de televisão tem estado a cumprir a pena no Estabelecimento Prisional da Carregueira, no concelho de Sintra, e já teve direito a duas saídas precárias, em dezembro de 2015 e no passado mês de março, por altura do seu aniversário.

Lusa

  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Itália tenta colocar migrações na agenda do G7 contra vontade dos EUA
    1:45
  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mais do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.