sicnot

Perfil

País

Polícia Marítima cancela buscas por alegado desaparecido em Odemira

A Polícia Marítima cancelou as buscas para tentar encontrar um homem, alegadamente desaparecido na quarta-feira numa arriba na Praia dos Machados, em Odemira, por ter concluído ser um falso alarme.

O comandante da Polícia Marítima e capitão do Porto de Sines, José António Gouveia, disse à agência Lusa ter decidido cancelar a operação de buscas depois de as autoridades entenderem "que não há mais nenhum desaparecido".

"Fui ao hospital falar e ver como estava o homem que resgatámos esta madrugada e ele confirmou aquilo que a Polícia Marítima e os Bombeiros já tinham pensado: que, na verdade, não há mais ninguém", frisou.

Um homem, de 26 anos, "com documentação alemã, mas natural da Guatemala", segundo o Polícia Marítima, foi resgatado esta madrugada de uma arriba na Praia dos Machados, no concelho de Odemira (Beja) numa operação que demorou várias horas.

O jovem, que estaria a percorrer a pé a Rota Vicentina, decidiu descer a falésia para, alegadamente, "verificar se alguém", que tinha avistado anteriormente e que deixou de ver, "tinha caído ou não" ao mar.

Mas, relatou José António Gouveia, "ao tentar voltar a subir, magoou-se e deixou sangue numa pedra" e "afastou-se para outra zona, a uns 100 metros de distância, para procurar subir", mas acabou por "cair e ficar pendurado nuns arbustos", o que obrigou ao resgate.

O homem, que sofreu ferimentos, foi retirado de uma altura de entre 80 e 100 metros por bombeiros e içado através de um cabo, numa operação que envolveu cerca de 25 elementos das várias entidades e também por civis, explicou.

Perante o relato do jovem, que alegava ter visto um pescador e um cão no fundo da arriba, deixando de os ver momentos depois, as autoridades mantiveram as buscas, até à hora do almoço de hoje, para verificarem se, efetivamente, haveria mais alguma pessoa desaparecida.

"Na zona, estavam o jovem e dois pescadores. Ele deve ter visto um dos pescadores com uma cana e um cão e, depois, deixou de os ver. Tudo isso se confirma, só não se confirma que algum destes pescadores tenha desaparecido, estão ambos bem", afirmou o comandante.

O sangue fresco encontrado na zona "veio a confirmar-se que é do homem que resgatámos", sublinhou ainda o responsável da Polícia Marítima.

"Só não cancelámos as buscas mais cedo porque queríamos ter a certeza de que o sangue era dele e estávamos à espera para ver se a GNR recebia algum pedido de ajuda para encontrar alguém desaparecido, o que não aconteceu", afirmou.

Com Lusa

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Trabalhadores da saúde iniciam greve nacional

    País

    Trabalhadores da saúde estão esta sexta-feira a cumprir uma greve a nível nacional para reivindicar a admissão de novos profissionais, exigir a criação de carreiras e a aplicação das 35 horas semanais a todos os funcionários do setor.

  • Portugal a tremer de frio
    3:07

    País

    Portugal continua a registar temperaturas negativas, sobretudo no Norte do país. Em Trás-os-Montes, por exemplo, marcaram mínimas de 11 graus abaixo de zero e os termómetros desceram tanto que congelaram rios, canalizações de água e até aquecimentos de escolas. Mas nem tudo é mau pois os produtores falam em boa época para curar fumeiro.

  • Juiz brasileiro morto em acidente aéreo investigava corrupção na Petrobras
    1:28
  • Zoo da Indonésia acusado de querer matar ursos à fome

    Mundo

    Um grupo de ativistas da Indonésia acusa o Jardim Zoológico de Bandung de estar a matar à fome os seus animais, incluindo os ursos-do-sol, para ser fechado. Um vídeo recentemente publicado mostra os ursos, que aparecem muito magros e a implorar por comida.

  • Podem as plantas ver, ouvir e até reagir?

    Mundo

    Um professor de Ciências Vegetais da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, passou quatro décadas a investigar as relações entre vegetais e insetos. Na visão de Jack Schultz, as plantas são "como animais muito lentos", que conseguem ver, ouvir, cheirar e até têm comportamentos próprios.