sicnot

Perfil

País

Deputados querem ouvir Governo sobre exoneração do ex-presidente da CCDR-N

A comissão parlamentar de Economia vai pedir a presença do Governo para esclarecer os motivos que levaram à exoneração de Emídio Gomes do cargo de presidente da Comissão de Coordenação da Região Norte (CCDR-N).

(Lusa/Arquivo)

Emídio Gomes foi exonerado pelo Governo num despacho, publicado a 01 de julho, pela "não-observação das orientações superiormente fixadas" e foi hoje prestar esclarecimentos aos deputados da Comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas, na Assembleia da República (AR),

O ex-presidente da CCDR-N admitiu que, de facto, não acatou uma ordem no que respeita à distribuição de fundos comunitários, que lhe foi transmitida "por escrito" pelo secretário de Estado do Desenvolvimento e da Coesão "48 horas antes da cerimónia pública oficial", por considerar que "a orientação ultrapassava em muito uma orientação" e "violava princípios" como o da concorrência e da transparência.

Em causa estava a distribuição de um pacote adicional de 20,4 milhões euros para a região, provenientes do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU), anunciado pelo Governo.

"O que me foi pedido foi que abrisse a candidatura a 29 municípios, sendo que já estava decidida de antemão qual a distribuição de valores", disse, salientando que foi o secretário de Estado da tutela que "pediu formalmente" o lançamento do aviso.

Emídio Gomes disse, entretanto, ter "sabido pelos jornais" que o Governo negociou com sete municípios a majoração das respetivas verbas através deste pacote, superior a 20 milhões de euros, o que contestou.

"Foi-me dito que eu estava a rejeitar uma orientação. Não fui tido nem achado com o aviso. Eu soube das negociações pelos jornais", destacou, salientando que, naquele contexto, "tomou a decisão" que achou "que devia tomar".

"A minha leitura foi a de que estava a ser alvo de uma ingerência e não [de] uma orientação. (...) Na minha análise pessoal, quem quebrou as regras foi o Governo", acrescentou.

Para o deputado do CDS-PP, Pedro Mota Soares, esta questão "pode não ser apenas e só uma quebra de princípios, mas pode configurar também uma ilegalidade".

"Vou continuar a questionar a legalidade da decisão. Se há o princípio de que todos os municípios se podem candidatar de igual forma, poderá haver sanções a Portugal por não cumprir regras comunitárias. (...) Há uma ordem por escrito. E isso pode pôr em causa a posição de Portugal", defendeu o deputado centrista.

A audição da tutela foi subscrita pelos restantes partidos, inclusive o PS, "por ter sido posta em causa a legalidade da ordem".

O Bloco de Esquerda quer também ouvir a Área Metropolitana do Porto "porque em causa está a eterna divisão de verbas" nesta área.

Com Lusa

  • Quem deve ser o próximo treinador do FC Porto?

    Desporto

    Nuno Espírito Santo já não é treinador do FC Porto. O técnico e o clube chegaram a acordo mútuo para a rescisão do contrato, que o ligava por mais uma temporada aos dragões. Nuno Pinto da Costa tem agora que encontrar um novo treinador para orientar dos "dragões". Os nomes em cima da mesa são vários. Diga-nos quem deve ser o novo treinador do FC Porto.

  • Os treinadores do FC Porto desde o último título 

    Desporto

    Nunca o FC Porto esteve quatro anos consecutivos sem ganhar um título durante a presidência de Nuno Pinto da Costa. A ausência de vitórias teve início na época de 2013/14, quando começou uma autêntica dança de treinadores.

  • Julgamento do caso BPN deverá terminar quarta-feira
    4:38

    Economia

    O acórdão do processo principal do BPN vai ser tornado público esta quarta-feira, depois de quase sete anos de audições. O rosto principal é o de José Oliveira Costa mas há outros 14 arguidos sentados no banco dos réus.

  • "Michel Temer nunca teve vergonha, não tem cara de pessoa de bem"
    3:04

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou no habitual espaço de comentário do Jornal da Noite  da SIC, o escândalo com o Presidente do Brasil, Michael Temer. O comentador diz que já era previsível que Temer fosse apanhado com "o pé na poça" e afirma que o Presidente brasileiro nunca teve qualquer tipo de vergonha. Miguel Sousa Tavares fez ainda referência ao facto de Dilma Rousseff ser, entre todos os políticos brasileiros, a única que não tem processos contra ela.

    Miguel Sousa Tavares

  • Divulgado vídeo dos bambardeamentos contra o Daesh no Iraque
    0:42
  • Leão-marinho arrasta criança de doca em Vancouver
    0:51

    Mundo

    O momento em que um leão-marinho arrasta uma menina para a água foi gravado e publicado na internet. Sem nada que fizesse prever, o animal puxou a criança que estava sentada numa doca em Vancouver, no Canadá. A criança foi resgatada de imediato por um familiar e apesar do susto não sofreu ferimentos. O momento de aflição foi testemunhado por vários turistas.