sicnot

Perfil

País

Ministro da Defesa expressa profundo pesar pela morte dos militares da Força Aérea no Montijo

O ministro da Defesa Nacional, Azeredo Lopes, manifestou hoje em nome pessoal e do Governo profundo pesar pela morte de três militares da Força Aérea, na sequência de acidente na descolagem de C-130H na Base do Montijo.

"A dedicação, a entrega e o serviço ao país prestado pelos militares que hoje pereceram não podem ser esquecidos. O Governo manifesta aos familiares, amigos e camaradas das vítimas as suas mais profundas condolências", referiu o ministro da Defesa, em comunicado.

José Alberto Azeredo Lopes deslocou-se hoje à tarde ao local do acidente, Base Aérea número 6, Montijo, para transmitir o "profundo pesar" em seu nome pessoal e em representação do Governo ao chefe do Estado Maior da Força Aérea, Manuel Rolo, que lhe expôs as "circunstâncias do acidente, o apoio prestado às vítimas e aos seus familiares".

Segundo o comunicado, o CEMFA deu ainda conhecimento ao ministro que foi aberto de "imediato o processo de investigação respetivo", que seguirá o "procedimento adotado em acidentes ou incidentes com aeronaves da Força Aérea".

"Neste momento de tristeza e profundo sofrimento, as palavras pouco ajudam a atenuar a dor", afirmou Azeredo Lopes, deixando ainda votos de recuperação rápida aos quatro tripulantes que ficaram feridos, um deles em estado considerado grave.

A FAP já divulgou entretanto que a análise às causas do acidente "irá seguir os procedimentos previstos, através de um inquérito conduzido pela Comissão Central de Investigação da Força Aérea".

A bordo da aeronave estavam sete tripulantes. O acidente causou três vítimas mortais, um ferido grave e três feridos ligeiros, todos militares da Força Aérea", acrescentou a FAP, adiantando que o acidente ocorreu cerca das 12:00.

Ainda segundo a Força Aérea, os feridos foram assistidos no local e depois transportados para unidades hospitalares.

Lusa