sicnot

Perfil

País

Trabalhadores da Soares da Costa invadem sede da empresa em Lisboa

Mais de uma centena de trabalhadores da Soares da Costa entrou hoje na sede da empresa, em Lisboa, exigindo ser recebida pela administração, de forma a resolver a situação dos salários em atraso.

"Está na hora, está na hora do salário cá para fora" e "assim não pode ser, trabalhar sem receber" são algumas das frases gritadas pelos trabalhadores que se encontram no exterior do edifício.

Os trabalhadores da Soares da Costa queixam-se de estar sem receber salário há oito meses.

Entretanto, elementos da PSP chegaram ao local.

Lusa

  • Salários em atrasos na Soares da Costa desde fevereiro
    1:34

    Economia

    A Soares da Costa vai arrancar me breve com várias obras, no valor de 80 milhões de euros e, para as quais precisa de 430 trabalhadores. Deste modo, não pode avançar com o despedimento coletivo, anunciado pela empresa em abril. Quem o diz é o Sindicato da Construção Civil, que lembra que a construtora não paga salários desde fevereiro. Dezenas de funcionários suspenderam ou rescindiram contrato desde maio devido aos atrasos salariais.

  • "Quem não deve não teme"

    Football Leaks

    O futebolista português Cristiano Ronaldo, questionado sobre a sua alegada fuga ao fisco veiculada pela investigação "Football Leaks", disse que "quem não deve não teme", numa reação difundida esta quinta-feira pela rádio espanhola Onda Cero.

  • Hospitais já registam picos de afluência apesar de casos de gripe serem ainda poucos
    2:13

    País

    A gripe ainda não chegou em força, mas nos últimos dias foram vários os hospitais com grande afluências de doentes, sobretudo idosos e com infeções respiratórias. Em alguns dias desta semana o número de doentes disparou para mais de 600, como disse à SIC o presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar Universitário de Coimbra.

  • Cerca de 150 civis doentes retirados de Alepo

    Mundo

    Cerca de 150 civis, a maioria doentes ou deficientes, foram retirados na noite de quarta-feira para quinta-feira de um centro de saúde de Aleppo, na parte mais antiga da cidade tomada pelo exército sírio, anunciou a Cruz Vermelha internacional.