sicnot

Perfil

País

Abaixo-assinado pela melhoria na Linha Verde do Metro de Lisboa

A Comissão de Utentes dos Transportes Públicos de Lisboa vai entregar hoje um abaixo-assinado ao Metro de Lisboa, onde pedem melhores condições na Linha Verde, que classificam de "aflitiva" nas horas de ponta.

Assinado por 700 utentes especificamente da estação de Arroios, o abaixo-assinado pede, também, que as obras de alargamento do cais sejam feitas com a maior urgência.

Em declarações à agência Lusa, Cecília Sales, da Comissão de Utentes, disse que andar na Linha Verde desde que o metro ficou reduzido a três carruagens, em 2012, "é uma grande aflição".

"Vai tudo acumulado, é altamente perigoso e é muito inseguro", afirmou.

Por isso, pedem a "reposição urgente das quatro carruagens que existiam" e para a rapidez nas obras de alargamento do cais da estação de Arroios, que não permite mais de três carruagens.

O mesmo abaixo-assinado já foi entregue na segunda-feira ao ministro do Ambiente, que tutela os transportes em Lisboa.

À porta do Ministério, a Comissão de Utentes aprovou uma moção onde exige a "reposição imediata das quatro carruagens na Linha Verde", o "lançamento célere do processo de concurso e início das obras de alargamento do cais da estação Arroios, para receber seis carruagens e a conclusão das obras na estação do Areeiro, que há três anos prolongam a situação caótica para utentes e comerciantes".

A Linha Verde do Metro liga Telheiras ao Cais do Sodré.

Com Lusa

  • As mulheres na clandestinidade durante o Estado Novo
    7:32

    País

    Não se sabe quantas mulheres portuguesas viveram na clandestinidade durante o Estado Novo, mas estiveram sempre lado a lado com os homens que trabalhavam para o Partido Comunista na luta contra a ditadura. Aceitavam serem separadas dos filhos e mudarem de identidade várias vezes ao longo dos anos. A história de algumas destas mulheres estão agora reunidas num livro que acaba de ser lançado.