sicnot

Perfil

País

Bloco acusa PSD de ter apagado políticas sociais com "borracha"

O Bloco de Esquerda (BE) acusou este domingo o PSD de, quando esteve no Governo com o CDS-PP, ter apagado com uma "borracha" as políticas sociais que agora o executivo apoiado pelo BE está a tentar reconstruir.

TIAGO PETINGA

"O PSD, enquanto esteve no Governo, redesenhou as políticas sociais com uma borracha, apagando-as. Nós estamos a tentar construir a destruição que o PSD e CDS-PP deixaram no Estado Social e nas políticas sociais", declarou hoje à tarde a líder bloquista, Catarina Martins, à margem de uma arruada na marginal de Espinho.

O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, disse no sábado que o seu partido estava a trabalhar num "redesenho das políticas sociais" com o objetivo de combater "perversões" que existem na Educação, Saúde ou na área Social.

"A nossa ambição, o nosso propósito (...) é muito claro. Nós queremos, nos próximos meses, poder de uma forma que pode não ter, digamos, um reflexo muito grande (...), mas iremos multiplicar as ocasiões e as formas de poder interagir com pessoas, profissionais, académicos, que nos ajudem a redesenhar estas políticas sociais", declarou Pedro Passos Coelho, no Porto, durante o "1º Fórum de Políticas Sociais: Educação, Saúde e Segurança Social".

Passos Coelho afirmou que aquela iniciativa servia para as pessoas conhecerem as "escolhas que vão fazer" e "quais são as políticas que estão associadas a cada partido e cada iniciativa política".

Questionada pelos jornalistas para comentar as intenções anunciadas pelo líder do PSD, Catarina Martins reconheceu que era "preciso mudar muita coisa" e que ainda havia "muita injustiça e desigualdade" em Portugal, mas garantiu que não é precisa a "colaboração do PSD para redesenhar políticas sociais".

"Não precisamos da colaboração do PSD para redesenhar políticas sociais, porque essa foi sempre e só acabar com políticas sociais, aumentar injustiça e desigualdade e o nosso caminho é o inverso", disse.

Lusa

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Segunda-feira no Jornal da Noite