sicnot

Perfil

País

GNR regista mais acidentes e menos mortos na 2ª fase da operação do verão

A GNR registou 620 acidentes, dois mortos e 18 feridos graves durante a segunda fase da operação "Hermes - Viajar em Segurança", que decorreu entre sexta-feira e domingo, anunciou hoje a corporação.

Em relação à mesma operação de 2015, a Guarda Nacional Republicana registou mais 30 acidentes, menos seis mortos e o mesmo número de feridos graves.

Dos 620 acidentes registados, 472 foram resultado de colisões, 132 de despistes e 16 de atropelamentos, tendo ambas as vítimas mortais resultado de despistes, adianta a GNR, em comunicado, sublinhando que os maiores índices de sinistralidade ocorreram nos distritos do Porto (99), Faro (83) e Setúbal (80).

Entre sexta-feira e domingo, os militares daquela força de segurança intensificaram as ações de patrulhamento e apoio aos condutores no âmbito da operação "Hermes - Viajar em Segurança", que tem como objetivo garantir a segurança nas viagens realizadas durante o verão e para os destinos de férias.

Durante três dias, a GNR deteve também 163 condutores, menos 39 do que no mesmo período de 2015, sendo a maioria por excesso de álcool e falta de habilitação legal para conduzir.

Os militares da GNR registaram igualmente 3.755 infrações, menos 706 do que em 2015, e as contraordenações estiveram relacionadas com excesso de velocidade e de álcool, uso do telemóvel durante a condução e falta de cinto de segurança.

No comunicado, a GNR destaca ainda o facto de não terem ocorrido ao longo de toda a 35.ª concentração de motos de Faro acidentes rodoviários ou incidentes de relevo no interior do recinto e nos itinerários usados durante o evento.

A próxima fase da operação "Hermes", que decorre durante todo o período de verão, vai decorrer de 29 a 31 de julho, realizando a GNR a quarta etapa de 12 a 15 de agosto e a última fase entre 26 e 28 de agosto.

Lusa

  • Detidas 12 pessoas responsáveis pelo cultivo e tráfico de droga em Gouveia
    1:48

    País

    A GNR de Gouveia deteve 12 pessoas - com idades entre os 17 e os 70 anos -, responsáveis pelo cultivo e tráfico de droga. A operação envolveu mais de 80 militares e desmantelou dez estufas. Foram apreendidas 272 plantas de canábis em Seia, Oliveira do Hospital e Arganil. A quantidade pronta para consumo teria um valor de mercado estimado em 67 mil euros.

  • Vila Real tem sido alvo de roubos de carrinhas
    2:15

    País

    O furto de ligeiros de mercadorias está a preocupar os habitantes das zonas vinhateiras do distrito de Vila Real. Muitas viaturas já não são novas, mas têm valor de mercado e são importantes para o trabalho na agricultura. A GNR está a investigar para perceber se os roubos estão relacionados com as redes que enviam este tipo de carrinhas para os mercados dos países de Leste e África.

  • Celebridades protestam contra Donald Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os discursos de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa estiveram no Jornal da Noite da SIC, onde analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O Diretor de Informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Encontrados dez sobreviventes no hotel engolido por um avalanche em Itália
    1:44
  • Videoclipe mostra mulheres a fazer tudo o que é proibido na Arábia Saudita
    1:55

    Mundo

    Um grupo de mulheres canta, dança e faz outras coisas proibidas na Arábia Saudita como forma de protesto. O vídeo é uma crítica social à forma como as mulheres islâmicas são tratadas pelos maridos. Na letra constam frases como "Faz com que os homens desapareçam da terra" e "Eles provocam-nos doenças psicológicas". A ideia partiu de um homem, Majed al-Esa e já conta com 5 milhões de visualizações.

    Patrícia Almeida