sicnot

Perfil

País

GNR regista mais acidentes e menos mortos na estrada

A GNR registou 620 acidentes, dois mortos e 18 feridos graves durante a segunda fase da operação "Hermes - Viajar em Segurança", que decorreu entre sexta-feira e domingo, anunciou hoje a corporação.

Em relação à mesma operação de 2015, a Guarda Nacional Republicana registou mais 30 acidentes, menos seis mortos e o mesmo número de feridos graves.

Dos 620 acidentes registados, 472 foram resultado de colisões, 132 de despistes e 16 de atropelamentos, tendo ambas as vítimas mortais resultado de despistes, adianta a GNR, em comunicado, sublinhando que os maiores índices de sinistralidade ocorreram nos distritos do Porto (99), Faro (83) e Setúbal (80).

Entre sexta-feira e domingo, os militares daquela força de segurança intensificaram as ações de patrulhamento e apoio aos condutores no âmbito da operação "Hermes - Viajar em Segurança", que tem como objetivo garantir a segurança nas viagens realizadas durante o verão e para os destinos de férias.

Durante três dias, a GNR deteve também 163 condutores, menos 39 do que no mesmo período de 2015, sendo a maioria por excesso de álcool e falta de habilitação legal para conduzir.

Os militares da GNR registaram igualmente 3.755 infrações, menos 706 do que em 2015, e as contraordenações estiveram relacionadas com excesso de velocidade e de álcool, uso do telemóvel durante a condução e falta de cinto de segurança.

No comunicado, a GNR destaca ainda o facto de não terem ocorrido ao longo de toda a 35.ª concentração de motos de Faro acidentes rodoviários ou incidentes de relevo no interior do recinto e nos itinerários usados durante o evento.

A próxima fase da operação "Hermes", que decorre durante todo o período de verão, vai decorrer de 29 a 31 de julho, realizando a GNR a quarta etapa de 12 a 15 de agosto e a última fase entre 26 e 28 de agosto.

Lusa

  • Manuel Delgado demitiu-se devido a "grave violação da privacidade"

    País

    O ex-secretário de Estado da Saúde diz que apresentou a demissão para "não perturbar nem criar qualquer tipo de embaraço ao normal funcionamento do Governo". Num comunicado, Manuel Delgado esclarece que foi remunerado pelo trabalho de consultor na Raríssimas "muito antes" da entrada no Governo e acrescenta que respeitou na íntegra todo o quadro legal e ético.

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55

    Economia

    Os trabalhadores independentes vão descontar menos para a Segurança Social já no próximo ano. A taxa vai descer dos 29,6% por cento para os 21,4%. A descida será compensada por um aumento das contribuições pagas pelos patrões. Há também alterações em caso de desemprego e o subsídio de doença passa a ser pago ao fim de 10 dias em vez de 31.

  • Tripulantes da TAP acusam companhia de desrespeitar compromissos
    3:16

    Economia

    O Sindicato que representa os tripulantes da TAP acusa a empresa de estar a violar a lei. A companhia aérea portuguesa denunciou unilateralmente o acordo de empresa com os tripulantes e apresentou novas condições, que o sindicato considera indignas. Diz que os tripulantes fizeram esforços pela companhia no verão e que agora estão a ser desrespeitados.

  • Uma "Árvore da Esperança" pelas vítimas dos fogos
    2:01
  • Bebé nasce com coração fora do peito e sobrevive
    2:06
  • Zapatou volta a eleger os melhores vídeos da internet
    6:28