sicnot

Perfil

País

Médicos investigados por fraudes no valor de 943 milhões de euros

Cerca de 430 médicos estão a ser investigados por fraudes de milhões. Segundo o Jornal de Notícias, o Estado foi lesado em 943 milhões de euros por fraudes no Serviço Nacional de Saúde. Alguns dos casos detetados são o roubo de receitas e de vinhetas médicas, a prescrição abusiva de medicamentos, com níveis elevados de comparticipação do Estado, e ainda a falsificação de receitas, sem conhecimentos dos médicos.

© Regis Duvignau / Reuters

Os casos foram detetados pelo Ministério da Saúde e, nos últimos quatro anos, as fraudes lesaram o Estado em 943 milhões de euros.

O Serviço Nacional de Saúde enviou 573 processos - que envolvem 432 médicos, prestadores de serviços e utentes - à Polícia Judiciária e à Procuradoria-Geral da República.

Muitos dos casos foram detetados no centro de controlo da Maia, onde passam cerca de nove milhões de faturas todos os meses.

Os dados recolhidos permitem combater a fraude. Contudo, o Ministério da Saúde quer também usar a informação para reduzir o desperdício e garantir que não está a pagar dinheiro a mais, tanto às farmácias como aos prestadores de serviços.

A tutela promete ainda apertar a fiscalização às contas dos hospitais e das unidades de saúde.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".