sicnot

Perfil

País

Número de desempregados com subsídio de desemprego baixou em junho

O número de desempregados a receber prestações de desemprego diminuiu em junho, 5,2% em relação a maio e 17,3% face a junho de 2015, divulgou hoje a Segurança Social.

De acordo com a síntese de informação estatística mensal da Segurança social, foi o subsídio social de desemprego inicial que apresentou a maior quebra em junho, 13,8%, o que corresponde a menos 1.495 beneficiários desta prestação.

No mesmo período, o subsídio de desemprego teve um decréscimo de 5,1%, ou seja, menos 9.269 subsídios atribuídos.

O Orçamento do Estado para 2016 criou uma medida extraordinária de apoio aos desempregados de longa duração que tenham cessado o período de concessão do subsídio social de desemprego, que passou a designar-se de inicial ou subsequente.

Segundo o Gabinete de Estratégia e Planeamento do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, estes dados ainda não refletem a nova medida.

O valor médio mensal de todas as prestações de desemprego processadas tem permanecido estável, sendo de 458,62 euros em junho.

Lusa

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.