sicnot

Perfil

País

Um morto em acidente na A1 em Coimbra

Acidente na A1 fez um morto e dois feridos graves

Uma pessoa morreu e duas ficaram gravemente feridas esta manhã num acidente na Autoestrada 1 (A1), em Coimbra. O trânsito esteve cortado no sentido Lisboa/Porto, mas já foi reaberto.

Primeiro, um ligeiro e um camião envolveram-se num acidente, junto ao nó de Coimbra Sul, cerca das 9:45.

Quando o condutor do ligeiro se preparava para sinalizar este acidente, foi colhido por um outro veículo pesado e acabou por morrer no local.

A circulação rodoviária reabriu às 12:20. O trânsito esteve cortado na A1 no sentido Lisboa/Porto, enquanto as autoridades limpavam a via.


Última atualização às 12:47

  • Colisão frontal entre comboios em Itália foi erro humano
    1:59

    Mundo

    Foi corrigido para 23 o número de mortos do acidente ferroviário de ontem sul de Itália. As operações de busca prosseguem e não está excluída a possibilidade de haver mais vítimas entre os destroços. O choque aconteceu numa zona de linha única concessionada a uma empresa privada. Um erro humano terá levado um dos comboios a partir para a linha única antes da luz verde.

  • "Putin é uma ameaça maior do que o Daesh"
    0:24

    Mundo

    O senador norte-americano John Mccain atacou Vladimir Putin dizendo que é uma ameaça maior do que o Daesh. O antigo candidato à Casa Branca acusa a Rússia de querer destruir a democracia ao tentar manipular o resultado das presidenciais dos Estados Unidos.

  • "Não podemos fazer de Lisboa uma cidade para turistas"
    2:44

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite da SIC, o mandato de Fernando Medina na Câmara de Lisboa. O comentador da SIC defendeu que o autarca tem "muitos problemas por resolver" e que a Câmara tem investido "mais na recuperação de zonas em que os lisboetas praticamente não conseguem ir". Sousa Tavares disse ainda que Lisboa não pode ser uma cidade para turistas.

    Miguel Sousa Tavares

  • "É muito importante ceder à tentação de se abolir a liberdade"
    1:06