sicnot

Perfil

País

Ministro da Defesa diz que só com eficiência se diminui probabilidade de ataques terroristas

O ministro da Defesa Nacional, Azeredo Lopes, defendeu hoje que só com muita eficiência de todos os departamentos do Estado é possível diminuir a probabilidade e a intensidade de ataques terroristas.

Em declarações pelo telefone à agência Lusa desde Washington, onde participou na reunião de ministros da Defesa da Coligação Global de combate ao Daesh, Azeredo Lopes foi questionado sobre a manchete de hoje do Diário de Notícias, que avança que o Serviço de Informações de Segurança (SIS) confirmou que houve uma ameaça de terrorismo direta a Portugal.

"Não me cabe confirmar nem afirmar e se o SIS o afirma é porque evidentemente isso aconteceu. O que isto confirma - aliás não é nada que qualquer um de nós tenha por surpreendente -- é, em primeiro lugar, a natureza absolutamente global, não circunscrita a um qualquer território, da ameaça que representa o Daesh", respondeu.

O ministro da Defesa Nacional foi perentório: "Só se formos muito eficientes é que conseguiremos, nunca impedir completamente a possibilidade destes ataques, mas diminuir pelo menos a sua probabilidade e também a sua intensidade".

"É bom termos a noção humilde e também sermos cada vez mais eficientes naquilo que estamos a fazer, quer ao nível da inteligência, dos serviços de informação, da defesa nacional, administração interna e de outros departamentos do Estado", acrescentou.

Na opinião de Azeredo Lopes, tendo em conta a "mitologia grotesca do regresso do seu Califado" do grupo jihadista Estado Islâmico, não se pode "pensar que Portugal ficaria arredado nem que fosse da ameaça", recusando, no entanto, "qualquer reação de medo".

Sobre a reunião de ministros da Defesa da Coligação Global de combate ao Daesh, o ministro da tutela explicou que se tratou de "saber qual foi a evolução no terreno" da ameaça terrorista, sendo "gratificante verificar que essa evolução é positiva".

"É positiva no terreno porque tem havido um recuo consistente das forças do Daesh tanto no Iraque como na Síria", justificou.

Sobre aquilo que ainda é preciso fazer, Azeredo Lopes enalteceu que "pela primeira vez foi tratado com bastante pertinência que o Daesh é uma realidade muito mais complexa do que aquilo que se passa na Síria e no Iraque ou até eventualmente na Líbia".

Segundo o ministro da Defesa Nacional, Portugal "contribui já de forma significativa em vários planos" no combate ao terrorismo, dando o exemplo, "na esfera concreta da Coligação Anti-Daesh, da representação importante em Besmayah, junto a Bagdade, num campo internacional onde partilha com Espanha e com Reino Unido a formação das forças armadas iraquianas".

"Portugal tem tido uma das posições das mais exemplares no que se refere à aceitação de refugiados", acrescentou ainda.

Lusa

  • Fuga de ácido em camião corta EN1 em Gaia

    País

    Uma fuga de gás clorídrico do contentor de um camião que circulava na zona de Pedroso em Vila Nova de Gaia obrigou ao corte do trânsito na EN 1, no sentido Norte/Sul.

    Em desenvolvimento

  • Polémica sobre offshore intensifica guerra de palavras entre PSD e Governo
    2:39
  • DGO divulga hoje execução orçamental de janeiro

    Economia

    A Direção-Geral do Orçamento (DGO) divulga hoje a síntese de execução orçamental em contas públicas de janeiro, sendo que o Governo estima reduzir o défice para 1,6% do Produto Interno Bruto (PIB) em contabilidade nacional em 2017.

  • Paulo Fonseca e Paulo Sousa fora da Liga Europa

    Liga Europa

    A segunda mão dos 16 avos-de-final da Liga Europa ficou marcada pelas eliminações de duas equipas treinadas por portugueses: a Fiorentina de Paulo Sousa e o Shakhtar Donetsk de Paulo Fonseca. Paulo Bento, no Olympiacos, e José Mourinho, no Manchester United, são os únicos técnicos lusos ainda em competição. Noutros jogos, destaque para os afastamentos do Tottenham e do Zenit. Veja aqui os resumos de todos os encontros desta noite europeia. O sorteio dos oitavos-de-final está agendado para esta sexta-feira, às 12h00, hora de Lisboa.

  • "Não preciso de ajustar contas com ninguém"
    0:49

    País

    O ex-Presidente da República insiste que José Sócrates foi desleal durante as negociações do Orçamento do Estado para 2011. Numa entrevista dada à RTP1, Cavaco Silva esclareceu ainda que não escreveu o livro de memórias para ajustar contas com o ex-primeiro-ministro.

  • Sócrates em processo judicial surpreende Cavaco
    0:18

    País

    Cavaco Silva afirmou ter ficado surpreendido com o envolvimento de José Sócrates num processo judicial. Em entrevista à RTP1 o ex-Presidente da República diz que nunca se apercebeu de qualquer "atuação legalmente menos correta" da parte de Sócrates.

  • PSD questiona funcionamento da Assembleia da República
    2:39

    Caso CGD

    O PSD e o CDS vão entregar esta sexta-feira no Parlamento o pedido para criar uma nova Comissão de Inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos. Os dois partidos reuniram-se esta quarta-feira para fechar o texto do requerimento. Durante o dia, o PSD considerou que o normal funcionamento da Assembleia da República está em causa, o que levou Ferro Rodrigues a defender-se e a garantir que está a ser imparcial.

  • Marcelo rejeita discussões menores na banca
    0:32

    Economia

    O Presidente da República avisa que não se devem introduzir querelas táticas e menores no sistema financeiro. Num encontro que reuniu publicamente Marcelo e Centeno, o Presidente diz que é preciso defender o interesse nacional.

  • Três dos planetas encontrados podem conter água e vida
    3:28
  • Túnel descoberto em cadeia brasileira tinha ligação a uma habitação
    0:44

    Mundo

    A polícia brasileira descobriu um túnel que ligava a cadeia de Porto Alegre a uma casa e serviria para libertar prisioneiros do estabelecimento. As autoridades detiveram sete homens e uma mulher no local. A construção permitiria uma fuga massiva que poderia chegar aos 200 mil fugitivos e estima-se que terá custado mais de 300 mil euros. A polícia do Rio Grande do Sul acredita, assim, ter impedido aquela que seria a maior fuga de prisioneiros de sempre no Estado brasileiro.