sicnot

Perfil

País

Mais de 2.500 fogos desde o início de julho

ANT\303\223NIO JOS\303\211

Cerca de 2.500 fogos registaram-se desde o início da fase mais crítica em incêndios florestais, que começou a 01 de julho, segundo a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

Dados da ANPC, enviados à agência Lusa, indicam que, entre 01 de julho e sábado, deflagram 2.513 incêndios florestais, que foram combatidos por 53.893 operacionais, 13.566 meios e terrestres e 1.057 meios aéreos.

O Porto foi o distrito com mais ocorrências de fogo, registando 654, seguido de Braga (265), Lisboa (223), Aveiro (208).

Já Portalegre foi o distrito com o menor número de incêndios entre 01 de julho e sábado, tendo registado 35, de acordo com a Proteção Civil.

A ANPC adianta que, no sábado, deflagraram 178 fogos, que foram combatidos por 3.887 operacionais, 956 viaturas e 86 meios aéreos.

Desde as 00:00 de hoje que se registaram 72 incêndios, mobilizando 1.509 operacionais, 392 viaturas e 15 meios aéreos.

Dezoito concelhos dos distritos de Santarém, Guarda, Castelo Branco, Leiria e Coimbra apresentam hoje o risco 'Máximo' de incêndio, segundo informação do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

O IPMA colocou em risco Máximo de incêndio os concelhos de Mação e Sardoal (Santarém), Sertã e Oleiros e Vila de Rei (Castelo Branco), Góis, Pampilhosa da Serra, Miranda do Corvo e Arganil (Coimbra), Sabugal, Guarda, Celorico da Beira, Trancoso, Fornos de Algodres e Aguiar da Beira (Guarda), Pedrógão Grande, Castanheira de Pêra e Figueiró dos Vinhos (Leiria).

Lusa

  • Governo garante que Portugal não desperdiçou nenhum fundo de ajuda alimentar
    1:18

    País

    O ministro da Solidariedade e Segurança Social garante que Portugal não desperdiçou nenhum fundo europeu de ajuda alimentar. Vieira da Silva respondeu, esta manhã, à notícia avançada pelo Jornal de Notícias que dava conta de que, este ano, o país teria desperdiçado 28 milhões de euros de um fundo europeu porque o programa ainda não está operacional.