sicnot

Perfil

País

Marcelo usa veto pela segunda vez em quase cinco meses de mandato

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, usou hoje, pela segunda vez o veto político ao fim de quase cinco meses de mandato, rejeitando o diploma que altera os estatutos da STCP e do Metro do Porto.

O segundo veto de Marcelo Rebelo de Sousa acontece cerca de um mês e meio depois do Presidente da República se ter estreado na devolução de diplomas ao parlamento, quando a 08 de junho rejeitou o decreto que introduzia a possibilidade de recurso à gestação de substituição.

Marcelo vetou hoje o diploma do parlamento que altera os estatutos das duas empresas de transportes por "vedar, taxativamente, qualquer participação de entidades privadas", considerando "politicamente excessivo e contraditório com os objetivos assumidos no quadro da governação em funções".

Em relação ao primeiro veto, o Presidente da República demorou um tempo semelhante ao de Cavaco Silva quando, em 2006, recorreu a esta ferramenta constitucional pela primeira vez no seu mandato de estreia.

Já neste segundo veto, Marcelo Rebelo de Sousa precisou apenas de menos dois meses para o voltar a usar, enquanto Cavaco Silva só vetou o segundo diploma mais de um ano depois do primeiro veto.

A 9 de junho, o parlamento tinha aprovado em votação final global a revogação dos decretos-lei do anterior executivo para a subconcessão dos transportes públicos de Lisboa e do Porto, com os votos contra do PSD e do CDS-PP.

Já a propósito do primeiro veto, a 8 de junho, foi anunciado que o chefe de Estado tinha promulgado o diploma que alarga o acesso à procriação medicamente assistida (PMA), mas vetado o decreto que introduz a possibilidade de recurso à gestação de substituição, decisão revelada no próprio dia em que Marcelo Rebelo de Sousa recebeu os diplomas em Belém.

Na quarta-feira, o projeto de lei do BE para permitir a gestação de substituição, com alterações introduzidas após o veto de Marcelo, foi aprovado pela Assembleia da República, tendo nessa mesma tarde o chefe de Estado anunciado que ia promulgar este novo diploma.

Em dez anos como Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva usou o veto político por 25 vezes, tendo as questões de género marcado a 'estreia' e a 'despedida' dos diplomas devolvidos ao parlamento pelo chefe de Estado.

Lusa

  • Luís Pina indiciado por quatro crimes de tentativa de homicídio
    2:24
  • Ministro "mais descansado" com relatório sobre Almaraz, ambientalistas contestam
    2:01

    País

    O ministro do Ambiente diz estar mais descansado depois de conhecer o relatório técnico que considera o armazém de resíduos nucleares em Almaraz uma solução adequada. Já as associações ambientalistas e os partidos criticam o parecer positivo à construção e querem ouvir os ministros do Ambiente e dos Negócios Estrangeiros no Parlamento.

  • Marcelo recebido por multidão na Ovibeja
    2:52
  • Líderes europeus unidos para iniciar saída do Reino Unido
    2:08
  • 100 dias de Trump em 04'30''
    4:33

    Pequenas grandes histórias

    Donald Trump tomou posse como 45º Presidente dos EUA dia 20 de janeiro de 2017, faz este sábado, 100 dias. Prometeu grandes mudanças, mas os planos acabaram por chocar de frente com a realidade e a burocracia de Washington, como foi o caso do Obamacare. Foi a primeira ordem executiva que assinou, no dia em que tomou posse, mas a revogação está longe de acontecer.