sicnot

Perfil

País

Julho está a ser um dos meses mais quentes de sempre

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

O mês de julho de 2016 está a ser dos mais quentes de sempre em Portugal Continental. O Instituto Português do Mar e da Atmosfera diz que a temperatura máxima e mínima tem sido muito superior à média.

O destaque vai para os últimos dois fins de semana, em que mais de metade do território continental registou valores acima dos 35 graus.

Este mês, a cidade de Tomar no Ribatejo foi a localidade com as temperaturas mais altas, chegando mesmo aos 42,8 graus.

Também as noites têm sido particularmente quentes. Em Portalegre, Castelo Branco e Lisboa, houve noites em que as temperaturas mínimas mantiveram-se acima dos 24 graus.

  • Adeptos do Sporting gritaram "Joguem à bola"

    Desporto

    Depois da eliminação da Taça de Portugal, o autocarro do Sporting deixou o Estádio Municipal de Chaves em clima de grante tensão. Vários adeptos leoninos protestaram contra a equipa e pediram explicações.

  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.

  • Temperaturas negativas em várias zonas do país nos próximos dias
    1:57

    País

    O frio vai começar a fazer-se sentir nos próximos dias com as temperaturas a descerem para valores negativos em várias zonas do país. Em Lisboa, cinco estações de metro vão estar abertas durante a noite para albergar os sem-abrigo que também vão receber agasalhos e refeições quentes.

  • Medalha idêntica à de Anne Frank encontrada em campo nazi

    Mundo

    Um grupo de investigadores encontrou uma medalha praticamente igual à de Anne Frank, nas escavações ao campo nazi de extermínio Sobibor, na Polónia. Os especialistas do Memorial do Holocausto Yad Vashem em Israel acreditam que a medalha pertencia a Karoline Cohn, que pode ter conhecido Anne Frank.