sicnot

Perfil

País

Mais de 7.800 doentes iniciaram tratamento para hepatite C, 3.000 curados

Mais de 7.800 doentes iniciaram tratamentos para a hepatite C em Portugal e há já pelo menos 3.000 utentes considerados curados, segundo dados oficiais.

A propósito do Dia Mundial das Hepatites, que se assinala na quinta-feira, a Organização Mundial da Saúde divulgou dados que mostram que 400 milhões de pessoas vivem com diabetes no mundo e que 95% dos infetados desconhece a doença.

Em Portugal, os números da Autoridade Nacional do Medicamento (Infarmed), que reportam a 1 de julho, contabilizam 7.840 tratamentos iniciados.

Do total de utentes que já finalizaram o protocolo de tratamento, 3.005 encontram-se curados e há 122 doentes dados como não curados.

O acordo entre o Estado e o laboratório que fornece os fármacos inovadores para a hepatite C foi formalizado há quase um ano e meio, mas os dados do Infarmed abrangem também outros doentes tratados por medicamentos fora do âmbito deste acordo.

O contrato -- assinado por dois anos -- prevê o pagamento por doente tratado e não por tempo de tratamento ou quantidade de medicamentos. A comparticipação do Estado português nos medicamentos abrangidos é de 100%.

O universo dos doentes potencialmente abrangidos foi definido em 13 mil pessoas, um número que poderá ter oscilações, porque alguns doentes podem não precisar destes fármacos ou outros novos podem registar-se.

Do total de utentes que já finalizaram o protocolo de tratamento, 3.005 encontram-se curados e há 122 doentes dados como não curados.

O acordo entre o Estado e o laboratório que fornece os fármacos inovadores para a hepatite C foi formalizado há quase um ano e meio, mas os dados do Infarmed abrangem também outros doentes tratados por medicamentos fora do âmbito deste acordo.

O contrato -- assinado por dois anos -- prevê o pagamento por doente tratado e não por tempo de tratamento ou quantidade de medicamentos. A comparticipação do Estado português nos medicamentos abrangidos é de 100%.

O universo dos doentes potencialmente abrangidos foi definido em 13 mil pessoas, um número que poderá ter oscilações, porque alguns doentes podem não precisar destes fármacos ou outros novos podem registar-se.

Lusa

  • Dono de submarino é o único suspeito da morte de jornalista sueca
    1:51

    Mundo

    A polícia dinamarquesa confirmou que o corpo decapitado encontrado junto ao mar, perto de Copenhaga, é o da jornalista sueca desaparecida há mais de 10 dias. Kim Wall estava a fazer uma reportagem sobre um submarino artesanal com o criador, que é agora o principal suspeito do crime. Parte do corpo foi encontrada na segunda-feira e identificada através de exames de ADN.