sicnot

Perfil

País

Militares da GNR regressaram a Portugal depois de missão na Bulgária

Os quatro militares da Unidade de Controlo Costeiro da GNR regressaram a Portugal dois meses depois de terem participado numa missão da agência europeia Frontex de controlo de fluxos migratórios na Bulgária, anunciou hoje a corporação.

Em comunicado, a Guarda Nacional Republicana adianta que, durante dois meses, os quatro militares da Unidade de Controlo Costeiro (UCC) detetaram dez viaturas suspeitas de transporte de migrantes e 133 migrantes que se deslocavam a pé, tendo ainda percorrido 7.026 quilómetros.

Segundo a corporação, os quatro militares participaram na missão da Agência Europeia de Gestão da Cooperação Operacional nas Fronteiras Externas dos Estados-Membros da União Europeia (Frontex) entre 23 de maio e 20 de julho, e desempenharam funções na área operacional de Gramatikovo, junto ao Mar Negro e à fronteira com a Turquia.

A operação teve como finalidade reforçar a segurança nas fronteiras externas da União Europeia, especificamente na Bulgária, para controlar os fluxos de migração e impedir a criminalidade transfronteiriça, refere ainda a GNR.

Lusa

  • Quando se pode circular pela esquerda? A GNR explica (e fiscaliza)
    5:46

    Edição da Manhã

    A regra aplica-se a autoestradas e outras vias com esse perfil mas dentro das localidades há exceções. A Guarda Nacional Republicana está a promover em todo o território nacional várias ações de sensibilização e fiscalização no sentido de prevenir e reprimir a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda quando não exista tráfego nas vias da direita. O major Paulo Gomes, da GNR, esteve na Edição da Manhã. 

  • Jovens impedidas de embarcar de leggings

    Mundo

    A moda das calças-elásticas-super-justas volta a fazer estragos. Desta vez nos EUA onde duas adolescentes foram impedidas de embarcar num voo da United Airlines devido à indumentária, que não cumpria com as regras dos tripulantes ou acompanhantes da companhia aérea norte-americana.

    Manuela Vicêncio

  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.

  • A primeira vez do Sr. Árbitro
    12:41