sicnot

Perfil

País

Número de incêndios e área ardida são os mais baixos dos últimos 10 anos

O ano de 2016 apresentou os valores mais baixos em número de incêndios florestais e área ardida dos últimos 10 anos, registaram-se 2.880 fogos que consumiram cerca de 2 mil hectares de floresta, segundo o último relatório oficial.

O Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) indica que, entre 1 de janeiro e 15 de julho, registaram-se 2.880 ocorrências de fogo, menos 64,5% do que no mesmo período de 2015.

O relatório provisório de incêndios florestais do ICNF adianta que das 2.880 ocorrências de fogo, 403 dizem respeito a incêndios florestais e 2.488 a fogachos.

O documento refere também que ardeu cerca de um décimo da área consumida pelas chamas no mesmo período do ano passado.

Segundo o relatório, das 2.880 ocorrências de fogo resultaram 2.174 hectares de área ardida, menos 22.013 do que no mesmo período do ano passado, em que os incêndios já tinham consumido 24.187 hectares.

"Comparando os valores do ano de 2016 com o histórico dos últimos 10 anos, no período de 1 de janeiro a 15 de julho, destaca-se que se registaram menos 58% de ocorrências relativamente à média verificada no decénio 2006-2015 e que ardeu menos 86% área do que o valor médio de área ardida nesse período", refere o ICNF.

Aquele organismo adianta que "o ano de 2016 apresenta, até ao dia 15 de julho, os valores mais baixos, quer em número de ocorrências quer em área ardida, desde 2006".

O número de ocorrências de fogo e de área ardida registam, este ano, valores mensais "muito inferiores" aos últimos 10 anos, justificando o ICNF com o facto da primavera de 2016 ter sido a mais chuvosa dos últimos 15 anos.

No entanto, avança que em junho deflagraram 692 ocorrências de fogo e nos primeiros 15 dias de julho já ocorreram 1.123 incêndios, o mesmo aconteceu com a área ardida, que nos primeiros quinze dias de julho, ultrapassou a regista em junho, 631 e 336 hectares respetivamente.

Os dados provisórios indicam igualmente que os distritos com maior número de incêndios, até 15 de julho, foram o Porto, Lisboa e Braga, apesar das ocorrências terem sido maioritariamente fogachos, inferiores a um hectare de área ardida.

Évora foi o distrito com menor número de fogos este ano, com apenas nova ocorrências registadas.

No que toca à área ardida, Braga foi o distrito mais afetado, tendo os incêndios consumido 378 hectares, representando cerca de 17% da área total, que resultaram do único grande fogo registado até 15 de julho no concelho de Cabeceiras de Basto.

Vila Real e Porto são outros dois distritos com mais área ardida este ano, acrescenta ainda o relatório.

Com Lusa

  • Incêndio no Parque Natural de Sintra

    País

    Um incêndio deflagrou esta manhã numa zona florestal do Linhó, Sintra. O alerta foi dado por volta das 07h11m. O Parque Natural de Sintra-Cascais é uma das zonas que está a ser consumida pelas chamas. No local estão 68 bombeiros apoiados por 18 viaturas.

  • PSD e CDS admitem chamar António Costa à nova Comissão de Inquérito à CGD
    2:37

    Caso CGD

    PSD e CDS admitem chamar o primeiro-ministro à nova Comissão de Inquérito à CGD. Apesar de ser uma hipótese, a SIC sabe que os dois partidos ainda estão a definir o objeto do inquérito e, por isso, afirmam que é prematuro falar sobre eventuais audições. Seja como for, António Costa voltou esta segunda-feira a dizer que o assunto está encerrado.

  • Venda do Novo Banco terá que ser negociada em Bruxelas
    0:43

    Economia

    A venda do Novo Banco vai ter que ser negociada com Bruxelas, uma vez que o Lone Star planeia agora ficar com 65% da instituição, obrigando o Estado a manter uma posição no banco. O ministro das Finanças lembra que esta também era uma possibilidade mas salienta que o assunto está nas mãos do Banco de Portugal.

  • Acha que conhece o seu país?
    27:42
  • O atentado na Suécia inventado por Donald Trump
    2:12
  • Primeiro-ministro sueco "surpreendido" com as declarações de Trump
    0:53

    Mundo

    O primeiro-ministro sueco ficou surpreendido com as declarações de Donald Trump, que, no fim de semana, se referiu a um suposto ataque terrorista no país escandinavo, relacionado com a imigração. Stefan Löfven fala na responsabilidade de usar os factos correctamente e diz que é preciso verificar a informação que é divulgada.

  • Angelina emociona-se ao falar da separação de Brad Pitt
    1:25
  • Modelo obrigada a prometer que não volta a arriscar a vida numa sessão fotográfica
    1:46