sicnot

Perfil

País

Segundo abutre-preto nasce no Alentejo após "regresso" da reprodução em 2015

A Liga para a Proteção da Natureza (LPN) anunciou hoje o nascimento do segundo abutre-preto registado no Alentejo desde o ano passado e após mais de 40 anos sem a ave se reproduzir no sul de Portugal.

Trata-se do nascimento "pelo segundo ano consecutivo" de um cria de abutre-preto no Alentejo e de "um resultado muito encorajador", que dá "continuidade ao "desejado restabelecimento de um núcleo reprodutor" da ave no sul de Portugal", frisa a LPN.

A cria é a segunda a nascer no Alentejo desde 2015, quando a espécie voltou a reproduzir-se e nasceu o primeiro abutre-preto na região, após mais de 40 anos sem reprodução confirmada da ave a sul do rio Tejo em Portugal, refere a LPN, num comunicado enviado à agência Lusa.

Segundo a LPN, a cria nasceu de um ovo incubado "com sucesso" por um dos quatro casais de abutre-preto que estão a nidificar, durante a época de reprodução deste ano, em ninhos artificiais instalados na Herdade da Contenda, no concelho de Moura, distrito de Beja, no âmbito do projeto LIFE para promoção do habitat do lince-ibérico e do abutre-preto no sudeste de Portugal.

O nascimento da cria foi confirmado durante a monitorização efetuada aos quatro casais reprodutores, que foram detetados, no passado mês de março, em plataformas artificiais de nidificação instaladas na Herdade da Contenda, propriedade da Câmara de Moura.

De acordo com os ecologistas, a cria, que, atualmente, tem quase três meses, foi "recentemente" marcada com uma anilha, o que permitirá identificá-la quando deixar o ninho.

Através de uma análise genética para determinar o sexo da cria, foi possível confirmar tratar-se de um macho, que está "em perfeitas condições físicas" e deverá manter-se no ninho "durante as próximas semanas", até adquirir a capacidade de voar.

A reprodução da espécie, "criticamente em perigo de extinção" no Alentejo, foi possível "sobretudo" graças às medidas implementadas no âmbito do projeto e da "indispensável colaboração" da empresa municipal de Moura Herdade da Contenda e da sua "adequada gestão da área", indica a LPN.

A mesma organização lembra que, até 2015, havia mais de 40 anos sem reprodução de abutre-preto confirmada a sul do rio Tejo em Portugal, tendo neste período "apenas sido registada uma tentativa de nidificação (falhada)" em 1996 e também na Herdade da Contenda.

De acordo com a LPN, o abutre-preto regressou como reprodutor a Portugal, em 2010, na região do Tejo Internacional.

Atualmente, estão a nidificar apenas cerca de 15 casais no Tejo Internacional, um casal no Douro Internacional e os quatro na Herdade da Contenda no Alentejo, o que corresponde ao estabelecimento do terceiro núcleo reprodutor da espécie no país.

No início de 2012, no âmbito do projeto LIFE "Habitat Lince Abutre", foram instalados um total de 30 ninhos artificiais para abutre-preto no Alentejo, nas regiões de Moura, Mourão e Barrancos e do Vale do Guadiana, para "melhorar as condições para o estabelecimento e reprodução" da espécie.

Além da instalação dos ninhos, foi também criada uma rede de campos de alimentação para aves necrófagas na área de implementação do projeto, dirigida ao abutre-preto, e um conjunto mais vasto de medidas de conservação do lince-ibérico e dos habitats das duas espécies, incluindo a sensibilização e o envolvimento das comunidades locais, num investimento de cerca de 2.250.000 euros ao abrigo do Programa LIFE-Natureza.

Lusa

  • "Quem não deve não teme"

    Football Leaks

    O futebolista português Cristiano Ronaldo, questionado sobre a sua alegada fuga ao fisco veiculada pela investigação "Football Leaks", disse que "quem não deve não teme", numa reação difundida esta quinta-feira pela rádio espanhola Onda Cero.

  • Hospitais já registam picos de afluência apesar de casos de gripe serem ainda poucos
    2:13

    País

    A gripe ainda não chegou em força, mas nos últimos dias foram vários os hospitais com grande afluências de doentes, sobretudo idosos e com infeções respiratórias. Em alguns dias desta semana o número de doentes disparou para mais de 600, como disse à SIC o presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar Universitário de Coimbra.

  • Cerca de 150 civis doentes retirados de Alepo

    Mundo

    Cerca de 150 civis, a maioria doentes ou deficientes, foram retirados na noite de quarta-feira para quinta-feira de um centro de saúde de Aleppo, na parte mais antiga da cidade tomada pelo exército sírio, anunciou a Cruz Vermelha internacional.