sicnot

Perfil

País

"A crise política evaporou-se"

"A crise política evaporou-se"

O Presidente da República diz que está muito tranquilo em relação ao Orçamento de Estado para 2017 e que não antevê qualquer problema crítico nas negociações da maioria de esquerda.

"Basta terem ouvido aquilo que disseram os partidos e os parceiros sociais à saída das audiências para terem percebido que não há crise política e não vai haver crise política", declarou Marcelo Rebelo de Sousa aos jornalistas, no Instituto Universitário Militar, em Lisboa. "Portanto, a crise política evaporou-se do panorama político português tal como tinha aparecido", considerou.

Questionado sobre o processo de negociação do próximo Orçamento do Estado entre o PS e os partidos à sua esquerda, o chefe de Estado respondeu: "Eu não vejo nenhuma razão de tensão adicional quanto ao Orçamento de 2017".

"Não ouvi nenhum [partido] falar em qualquer hipótese de retirar o apoio ou de haver qualquer cenário, mesmo vago, de crise a propósito do Orçamento de 2017. Não ouvi", acrescentou o Presidente da República, concluindo: "Estou tranquilo. Nesse particular estou muito tranquilo. Fossem todos os problemas iguais a esse. Há outros problemas no mundo, como em Portugal, mas não esse".

Com Lusa

  • PS garante que acordo com a esquerda está firme e é para durar
    0:56

    País

    O PS garante que não há qualquer crise política à vista e que o acordo das esquerdas está firme e é para durar. No final do encontro com o Presidente da República, Ana Catarina Mendes sublinhou que até agora o Governo nunca deixou de cumprir os compromissos com os eleitores, os parceiros de maioria e as instituições europeias.

  • PAN afirma que Marcelo está preocupado com discussão sobre OE 2017
    0:38

    País

    O deputado único do Pessoas-Animais-Natureza (PAN) afirmou hoje que será "responsável" quanto ao Orçamento do Estado de 2017, apelando ao mesmo sentido de responsabilidade por parte de todos os partidos, após audiência com o Presidente da República. Marcelo Rebelo de Sousa está hoje a receber os partidos com assento parlamentar e ouvirá ainda os diversos parceiros sociais até quarta-feira para uma análise da situação política do país. Depois do PAN, o Chefe de Estado reúne com os representantes de PEV, PCP, CDS-PP, BE, PS e PSD.