sicnot

Perfil

País

Calor de julho não teve expressão na mortalidade

Calor de julho não teve expressão na mortalidade

O calor que se tem feito sentir em julho não teve, até ao momento, "expressão preocupante" em termos de mortalidade, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS), que apontou, no entanto, um ligeiro aumento na procura das urgências dos hospitais.

Numa conferência de imprensa realizada hoje na DGS, a subdiretora geral da Saúde, Graça Freitas, considerou normal o número de óbitos registados em julho, tendo em conta as elevadas temperaturas.

"Até agora, felizmente, o fenómeno da mortalidade não tem tido a expressão preocupante, ou seja, está naquele limite máximo da variabilidade que nós consideramos normal, em relação a estes fenómenos", disse Graça Freitas.

Segundo a DGS, registaram-se, até 27 de julho, mais 647 óbitos do que em períodos homólogos de 2014 e 2015, um aumento que se tem verificado desde fevereiro e março.

Com Lusa

  • Reclusos que fugiram de Caxias tiveram cúmplices
    1:59

    País

    Uma falha de Portugal poderá explicar a libertação de um dos dois chilenos que fugiram de Caxias e foram apanhados em Espanha. As autoridades portuguesas atrasaram-se a enviar o mandado de detenção e a polícia espanhola libertou o fugitivo. Na investigação da fuga, acredita-se que os 3 reclusos tiveram cúmplices e a namorada de um deles já foi interrogada.

  • Jovem indiano acorda a caminho do próprio funeral

    Mundo

    Um jovem indiano chocou os seus parente e amigos, depois de acordar no caminho para o seu próprio funeral. No mês antes, Kumar Marewad foi levado para o hospital após ser mordido por um cão de rua, ficando em estado grave.

  • Bilhete de desculpas valeu uma bolsa de estudo

    Mundo

    Um jovem chinês ganhou uma bolsa de estudos no valor de 10 mil yuan (cerca de 1.380 euros), depois de danificar acidentalmente um carro de luxo. Isto, porque após os estragos, o jovem deixou um bilhete de desculpas ao dono, assim como todo o dinheiro que tinha com ele, como compensação.