sicnot

Perfil

País

GNR inicia hoje nova fase da operação "Hermes - Viajar em Segurança"

Em 2015, a GNR fiscalizou 21.651 tacógrafos de viaturas pesadas, dos quais 52% (11 229) apresentavam irregularidades nos tempos de condução e repouso.

A Guarda Nacional Republicana (GNR) intensifica, a partir desta sexta-feira, e até domingo, as ações de patrulhamento, nas principais vias de ligação a locais de férias, no âmbito da operação "Hermes - Viajar em Segurança".

A GNR vai prestar ainda "especial atenção" às fronteiras terrestres, para apoiar, em particular, as entradas de emigrantes em território nacional, de acordo com o comunicado hoje divulgado por aquela força de segurança.

No âmbito deste apoio aos emigrantes, a GNR vai realizar, na sexta-feira, pelas 18:00, na fronteira de Vilar Formoso, "uma ação de divulgação de conselhos de segurança, sobretudo rodoviária", iniciativa que contará com a participação de elementos da Guardia Civil de Espanha.

A GNR aconselha todos os condutores, o descanso, antes da viagem, para evitar a fadiga, a não ingestão de bebidas alcoólicas e a execução de uma revisão ao seu veículo, de modo a assegurar de que se encontra "em condições para fazer a viagem".

O acondicionamento da carga, sem interferir com o campo de visão do condutor e sem constituir perigo para os ocupantes, o cumprimento dos limites de velocidade, a utilização do cinto de segurança, por todos os passageiros, o uso de cadeirinhas apropriadas, para o transporte de crianças e a não utilização de telemóveis, durante a condução, são outros conselhos da GNR aos viajantes.

A GNR recorda ainda que devem ser evitadas "manobras perigosas de ultrapassagem, de mudança de direção, de inversão do sentido da marcha", apela à manutenção da distância de segurança em relação ao veículo da frente e a importância de serem feitas paragens de 15 ou mais minutos, de duas em duas, horas para descanso.

"A fadiga e a consequente sonolência está entre as principais causas de vítimas mortais na estradas", recorda a GNR.

O balanço da primeira fase da operação Hermes, que decorreu no primeiro fim de semana de julho, elevou-se a sete mortos, mais quatro do que em 2015, e 530 acidentes, menos 21 que no ano passado.

Vinte e cinco feridos em estado grave (menos um do que em 2015) e 170 pessoas com ferimentos ligeiros (menos 51) foram também contabilizados durante os três dias da operação, de acordo com os números então divulgados pela GNR.

Ao longo da operação, a GNR deteve 136 condutores, dos quais 110 por condução com taxa de alcoolemia (TAS) igual/superior a 1,20 gramas por litro de sangue e 26 por falta de habilitação legal para conduzir.

Foram ainda detetadas 3,254 infrações, designadamente 1.557 por excesso de velocidade, 316 por condução com TAS superior ao permitido por lei, 170 por falta ou incorreta utilização do cinto de segurança ou cadeira para bebés e 110 por uso indevido de telemóvel durante a condução.

A próxima fase da operação "Hermes" inicia-se sexta-feira e decorre até domingo, seguindo-se os fins de semana de 12 a 15 de agosto e de 26 a 28 de agosto, respetivamente.

Lusa

  • Equipa da SIC impedida de entrar na Venezuela

    País

    A SIC tinha uma equipa a caminho da Venezuela para cobrir as eleições da Assembleia Constituinte que decorrem no domingo. No entanto o jornalista Luís Garriapa e o repórter de imagem Odacir Junior foram impedidos de entrar no país. A equipa de reportagem foi barrada à chegada ao aeroporto de Caracas.

  • "Fomos considerados inadmissíveis no território da Venezuela"
    4:43

    País

    O jornalista Luís Garriapa entrou em direto no Jornal da Noite, para explicar o que aconteceu esta quinta-feira, no aeroporto de Caracas. A equipa de reportagem de SIC foi impedida de entrar na Venezuela, onde ia cobrir as eleições da Assembleia Constituinte, marcadas para domingo.

  • Oposição alarga protesto e anuncia "tomada da Venezuela"

    Mundo

    A oposição venezuelana recusou esta quinta-feira a proibição de manifestações decretada pelo Governo e avisou que, em resposta, ampliará o protesto previsto para sexta-feira, passando de uma "tomada de Caracas" para uma "tomada da Venezuela".

  • Marcelo lembra como foi tratada a tragédia durante a ditadura
    2:25

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Marcelo Rebelo de Sousa não quis comentar diretamente a polémica em torno da lista das vítimas mortais de Pedrógão Grande, mas recorreu às cheias de 1967 para lembrar como as tragédias eram tratadas no tempo da ditadura. O Presidente da República defendeu que não é possível esconder a dimensão de uma tragédia num regime democrático. Há 50 anos, Marcelo Rebelo de Sousa acompanhou de perto a forma como o regime tentou esconder a verdadeira dimensão do incidente.

  • Ministra admite falhas no SIRESP no presente e no passado
    2:35

    País

    A ministra da Administração Interna admitiu, esta quinta-feira, que o SIRESP falha no presente tal como já falhou no passado, quando a tutela pertencia ao Governo PSD. Os sociais-democratas quiserem ouvir Constança Urbano de Sousa na comissão parlamentar mas desta vez a ministra defendeu-se com um ataque. 

  • À descoberta de Dago, o destroço mais visitado em mergulho de profundidade
    13:51
  • Uma viagem aérea pela aldeia histórica de Monsanto
    0:50
  • Quase três mil toneladas de plástico ameçam tartarugas no Mediterrâneo
    2:35

    Mundo

    O Mar Mediterrâneo está sob a ameaça de se tornar uma lixeira com três mil toneladas de plástico a flutuarem entre a Europa e África. Há milhões de turistas a nadarem nestas águas e há espécies marinhas que já estão em perigo. No Chipre, os cientistas estão a tentar proteger tartarugas, cuja alimentação já é quase totalmente de plástico.

  • Deputado da Malásia diz que negar sexo ao marido é uma forma de abuso

    Mundo

    Um deputado malaio tem sido alvo de algumas críticas na internet, depois de ter dito que negar sexo a maridos é uma forma de abuso psicológico e emocional por parte das mulheres. As declarações de Che Mohamad Zulkifly Jusoh foram feitas durante um debate sobre as alterações às leis de violência doméstica, na quarta-feira.

    SIC