sicnot

Perfil

País

Todas as regiões do país em risco muito elevado de exposição à radiação ultravioleta

reuters

Todas as regiões do país apresentam hoje risco Muito Elevado de exposição à radiação ultravioleta (UV), informou o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Segundo o instituto, as regiões do Funchal, Porto Santo, Bragança, Castelo Branco, Guarda, Penhas Douradas, Vila Real, Funchal, Aveiro, Beja, Braga, Coimbra, Évora, Faro, Leiria, Lisboa, Portalegre, Porto, Santarém, Setúbal, Sines, Viana do Castelo, Viseu, Porto Santo, Horta, Angra do Heroísmo, Ponta Delgada e Santa Cruz das Flores estão hoje com níveis 'Muito Elevado'.

Nas regiões com risco com níveis Muito Elevado e Elevado, o instituto recomenda o uso de óculos de sol com filtro UV, chapéu, t-shirt, guarda-sol e protetor solar, além de desaconselhar a exposição das crianças ao sol.

Os índices UV variam entre menor do que 2, em que o UV é Baixo, 3 a 5 (Moderado), 6 a 7 (Elevado), 8 a 10 (Muito Elevado) e superior a 11 (Extremo).

O IPMA prevê para hoje no continente céu pouco nublado ou limpo, apresentando períodos de maior nebulosidade no litoral até meio da manhã, com aumento temporário, durante a tarde, de nebulosidade nas regiões do interior Norte e Centro, com possibilidade de ocorrência de aguaceiros dispersos.

Está também previsto vento fraco, soprando temporariamente moderado, do quadrante leste nas terras altas e na costa sul do Algarve até final da manhã e de noroeste no litoral a norte de Sines durante a tarde, possibilidade de ocorrência de neblina ou nevoeiro matinal no litoral e pequena descida da temperatura máxima no litoral oeste.

Na Madeira prevê-se períodos de céu muito nublado, possibilidade de ocorrência de aguaceiros fracos nas vertentes norte e terras altas e vento fraco a moderado do quadrante norte, soprando moderado a forte nas terras altas até meio da manhã.

Para os Açores, a previsão aponta para céu geralmente pouco nublado, possibilidade de aguaceiros fracos e vento fraco a bonançoso.

Quanto às temperaturas, em Lisboa vão oscilar entre 19 e 31 graus Celsius, no Porto entre 17 e 26, em Vila Real entre 20 e 36, em Viseu entre 21 e 36, em Braga entre 17 e 35, em Bragança entre 19 e 37, na Guarda entre 21 e 33, em Coimbra entre 16 e 31, em Castelo Branco entre 21 e 37, em Portalegre entre 22 e 36, em Santarém entre 16 e 36, em Évora entre 18 e 38, em Beja entre 20 e 36, em Faro entre 21 e 29, no Funchal entre 20 e 24, em Ponta Delgada entre 20 e 25, na Horta entre 20 e 27 e em Santa Cruz das Flores entre 20 e 25.

Lusa

  • O tempo para hoje
    0:28

    País

    O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê para hoje no continente céu pouco nublado ou limpo, apresentando períodos de maior nebulosidade no litoral até meio da manhã, com aumento temporário, durante a tarde, de nebulosidade nas regiões do interior Norte e Centro, com possibilidade de ocorrência de aguaceiros dispersos.

  • A casa dos horrores
    7:57

    Mundo

    Um casal foi detido na Califórnia acusado de tortura e escravidão dos 13 filhos: o mais velho tinha 29 anos e a mais nova dois. A polícia encontrou um cenário de horror quando entrou na casa da família, depois de uma das filhas ter fugido pela janela. Crianças e jovens estavam amarrados às camas e todos estavam mal alimentados. Mas nas redes sociais, o casal Turpin divulgava imagens de uma família feliz.

  • PGR e presidente do Supremo deixam recado à ministra da Justiça
    2:45
  • Rui Rio tem sentido "alguma turbulência" no PSD
    2:01

    País

    Rui Rio e Pedro Passos Coelho tiveram esta quinta-feira a primeira reunião, desde que foi eleito o novo líder do PSD. À saída, Passos Coelho desejou que esta transição decorra com naturalidade. Já Rui Rio disse que tem sentido alguma turbulência no partido.

  • Sindicatos rejeitam fim das baixas médicas até três dias
    2:02

    País

    A CGTP quer levar o tema das baixas médicas à Concertação Social, já a UGT diz que há outras matérias prioritárias. Ainda assim as duas centrais sindicais lembram que a não justificação de faltas pode dar origem a um despedimento por justa causa. Esta quinta-feira o bastonário da Ordem dos Médicos propôs ao Governo que acabe com as baixas de curta duração, até três dias.

  • Papa interrompe percurso no Chile para ajudar polícia
    0:21
  • "Mundo à Vista" no Gana
    7:38