sicnot

Perfil

País

Banhistas continuam a ignorar avisos de perigo das arribas nas praias do Algarve

LUSA

Dezenas de pessoas ignoram os alertas para o perigo de queda das arribas nas praias do Algarve, colocando-se em perigo e sem que as autoridades possam impedir a permanência nas zonas de risco.

"Infelizmente, continua a ser frequente a permanência de pessoas em locais de risco de queda das falésias nas praias, apesar dos avisos colocados e que identificam as zonas de perigo", disse à agência Lusa o comandante Santos Pereira, da Capitania do Porto de Portimão.

De acordo com este responsável, a Autoridade Marítima "não pode autuar as pessoas, mas apenas alertar para os riscos que correm ao permanecerem nas zonas perigosas".

O comandante da Capitania do Porto de Portimão recordou que as zonas de risco "estão identificadas com fotos e avisos colocados à entrada de cada praia, informando os locais seguros que podem ser utilizados pelos veraneantes".

Apesar da informação e dos sinais que alertam para o risco de derrocada, a reportagem da Lusa constatou em várias praias do Algarve a permanência de dezenas de pessoas, entre as quais crianças, em locais inseguros, ignorando os perigos.

Alguns veraneantes, que pediram para não serem identificados, disseram à Lusa que "estão conscientes do perigo", mas que vão continuar "a procurar e utilizar zonas de sombra junto às arribas".

Segundo dados da Agência Portuguesa do Ambiente (APA), entre julho de 2015 e junho de 2016, registaram-se 21 desmoronamentos de arribas no Algarve, número que está acima da média anual dos últimos dez anos, que é de 12 ocorrências.

O diretor regional da APA, Sebastião Teixeira, afirmou que "este aumento de derrocadas foi consequência do fenómeno meteorológico registado em novembro de 2015 na zona de Albufeira, onde ocorreram chuvas intensas que terão provocado infiltrações e motivado a queda de arribas".

Estas ocorrências "que fizeram aumentar a média anual, registaram-se apenas no concelho de Albufeira", sublinhou o responsável, acrescentando que este ano "foram reforçados os alertas para os perigos junto às arribas".

"Felizmente que não ocorreram desmoronamentos em zonas utilizadas pelos banhistas, mas a continuada permanência nas zonas perigosas, faz aumentar o risco, colocando em perigo a vida das pessoas", alertou.

As autoridades marítimas e do ambiente reforçam os alertas e pedem aos banhistas que respeitem os sinais e a distância de segurança.

"A área considerada de segurança é calculada consoante a altura da arriba, devendo ser considera uma distância de uma vez e meia a altura da arriba", destacou Sebastião Teixeira.

Lusa

  • Marcelo já sabia da substituição do embaixador de Angola
    4:00

    País

    O Presidente da República sabia há bastante tempo da substituição do embaixador de Angola em Lisboa e já tinha aprovado o nome do futuro representante de Luanda. A revelação foi feita, esta terça-feira, por Marcelo Rebelo de Sousa, numa conversa exclusiva com a SIC no Palácio de Belém. O Presidente contou ainda que não vai enviar recados ao Governo nem aos partidos no discurso de 25 abril que vai fazer na Assembleia da República.

    Exclusivo SIC

  • "O ministro não escondeu nem tapou"
    1:20

    Economia

    Pedro Santana Lopes falou pela primeira vez sobre a auditoria feita à Santa Casa no período em que foi provedor. Esta terça-feira, na SIC Notícias, Santana Lopes desvalorizou as irregularidades e defendeu o ministro do Trabalho, da Solidariedade e da Segurança Social, Vieira da Silva.

    Pedro Santana Lopes

  • Constitucional chumba algumas normas da lei de barrigas de aluguer

    País

    O Tribunal Constitucional chumbou algumas normas do acórdão sobre as barrigas de aluguer. De acordo com o Expresso, a decisão já foi comunicada à Assembleia da República. A obrigatoriedade da regulamentação da lei ser feita pelo Parlamento e não pelo Governo terá sido unânime.

  • A história do bebé que continua a lutar pela vida depois de terem desligado as máquinas

    Mundo

    Alfie Evans sofre de uma doença cerebral degenerativa. A sua condição levou o caso à justiça e, depois de uma batalha judicial entre os pais e o hospital, os juízes determinaram que as máquinas do suporte artificial de vida fossem desligadas. Apesar de os aparelhos terem sido desligados na segunda-feira à noite, segundo os pais, a criança de 23 meses continua a lutar pela vida, respirando sozinha.

    SIC

  • O 10 de julho de 1941 na escrita de João Pinto Coelho
    15:09
  • Chegaram os brinquedos de cartão para a consola
    6:24
  • Marinha resgata 138 migrantes ao largo de Lampedusa

    País

    A fragata da Marinha portuguesa D. Francisco de Almeida resgatou esta terça-feira, ao largo da ilha de Lampedusa, em Itália, 138 migrantes, entre eles 15 mulheres e oito bebés, disse à Lusa fonte do Estado-Maior-General das Forças Armadas.

  • O recado de Donald Trump à Coreia do Norte 

    Mundo

    O Presidente norte-americano, Donald Trump, exortou Pyongyang a eliminar todo o seu arsenal nuclear, precisando o que queria dizer exatamente ao apelar para a "desnuclearização" do regime totalitário, antes de uma aguardada cimeira com o líder norte-coreano.

  • O vestido de noiva de Megan Markle
    1:17