sicnot

Perfil

País

GNR já registou 20 situações de burla com aluguer de casas de férias

Vinte situações de burla com o aluguer de casas de férias foram denunciadas à Guarda Nacional Republicana até dia 30 de junho, informou a GNR.

Em 2015, a Guarda Nacional Republicana (GNR) registou 143 crimes de burlas com o aluguer de casas de férias, 52 dos quais ocorreram no distrito de Faro, segundo uma nota divulgada.

Relativamente aos concelhos algarvios onde ocorreram os crimes, a GNR destaca os de Albufeira, Loulé e Portimão.

Os restantes crimes ocorreram nos distritos de Braga, Aveiro, Porto e Leiria. As situações foram detetadas no início das férias nos meses de junho, julho e agosto.

Ao referir que as burlas com o aluguer de casas de férias ocorrem, sobretudo, com anúncios de arrendamento de imóveis a preços apelativos publicados na internet, a GNR aconselha as pessoas a desconfiarem de anúncios com preços abaixo do valor praticado no mercado e a verificarem se a casa a alugar não está referenciada em burlas anteriores.

Apela ainda às vítimas de burla para que denunciem os crimes.

De forma geral, estes anúncios fornecem um número de telemóvel que só está disponível no primeiro contacto telefónico, no qual é solicitada a transferência bancária de um determinado montante como "sinal", refere a GNR, acrescentando que a vítima só se apercebe que foi burlada quando volta a contactar o mesmo número de telefone e verifica que deixou de estar ativo.

A vítima apercebe-se ainda de que foi burlada quando pretende recolher a chave da habitação ou quando chega à morada que lhe foi fornecida e constata que esta não existe.

Em 2015, a GNR registou 3.915 ocorrências de burlas, o equivalente a uma média de 327 por mês (ou 11 por dia). Os meses de julho e agosto foram os que registaram mais ocorrências. Perto de 40 por cento das burlas foram cometidas sem contacto presencial e grande parte respeitam a transações comerciais.

No que respeita às formas de contacto com a vítima, 1.592 burlas ocorreram através da internet (708 relacionaram-se com a compra ou venda de objetos e 112 com o aluguer de casas para férias), enquanto 1.300 foram cometidas através de contacto presencial.

Mais de duzentas burlas foram cometidas com recurso a telefone/telemóvel, 62 com recurso a carta e 45 através de anúncio em jornal, revista ou panfleto.

Lusa

  • Operação "Verão Seguro" junta PSP e GNR
    1:44

    País

    Já está em marcha a Operação Verão Seguro, que junta a PSP e a GNR no reforço do policiamento durante o período de férias.As autoridades alertam para os cuidados a ter em zonas de praia ou de acesso a transportes públicos e lembram que os cidadãos podem pedir proteção mais atenta para as próprias casas antes de viajarem.

  • Governo prepara projeto para suavizar transição para a reforma
    1:38

    Economia

    O Governo quer suavizar a transição do trabalho para a reforma. A ideia é que essa passagem seja feita gradualmente e não de um dia para o outro, o que pode ser mais traumático. O projeto prevê a possilidade de o trabalhador cumprir meio horário e acumular com meia pensão.

  • Portugal pode perder parte dos fundos comunitários
    2:21

    Economia

    Portugal arrisca-se a perder parte dos fundos comunitários atribuídos ao país, se não acelerar a execução dos programas que têm comparticipação de Bruxelas. A notícia é avançada pelo jornal Público, que revela que o país ainda está longe de cumprir as metas mínimas. O Executivo desdramatiza e acredita que serão cumpridas até ao final do ano. O Governo diz mesmo que Portugal deverá ser um dos países com melhores taxas de execução.

  • Proteína tóxica que se acumula no cérebro pode ser uma das causas do Alzheimer
    2:33

    País

    Uma proteína tóxica que se acumula no cérebro pode ser uma das causadoras do Alzheimer. A revelação, feita pelo prémio Nobel da Medicina de 2014, será discutida no terceiro dia da cimeira mundial sobre doenças neurodegenerativas na Fundação Champalimaud, em Lisboa. A partir de hoje, serão apresentadas novidade nas investigações científicas sobre a epidemia silenciosa, que atinge 50 milhões de pessoas em todo o mundo.

  • Primeiro discurso de Costa na ONU alinhado com o de Guterres

    País

    O primeiro-ministro, António Costa, proferirá hoje o seu primeiro discurso na Assembleia Geral das Nações Unidas, devendo estar muito alinhado com a agenda política apresentada na terça-feira pelo secretário-geral da ONU, António Guterres, valorizando o multilateralismo.