sicnot

Perfil

País

Sindicato diz que aumento da idade para a condução de autocarros põe em risco segurança dos passageiros

O Sindicato dos Trabalhadores dos Transportes (Sitra) alegou esta segunda-feira que o aumento da idade máxima para a condução de autocarros, de 65 para 67 anos, atenta contra a segurança dos passageiros.

Em comunicado, o Sitra refere que o alargamento da idade máxima dos condutores de veículos pesados de passageiros "põe claramente em risco a segurança dos passageiros", sustentando que, "a partir dos 65 anos, as capacidades psicomotoras dos profissionais diminuem sistemática e substancialmente".

A alteração consta num decreto-lei publicado na sexta-feira, que condiciona o aumento, dos 65 para os 67 anos, da idade máxima para a condução de veículos pesados de passageiros e mercadorias à aptidão física, mental e psicológica do condutor.

Na nota de imprensa, o sindicato, afeto à UGT, considera "inadmissível que o Governo tenha avançado de forma unilateral para a revisão de uma matéria tão importante e estruturante da vida profissional e pessoal dos motoristas, sem ter aberto um processo negocial com vista a integrar e a salvaguardar os interesses dos trabalhadores e dos utentes".

À Lusa, o secretário-geral do Sitra, Sérgio Monte, apontou que a profissão de motorista tem "um desgaste rápido", pelo que, no limite, a idade máxima de condução deveria ser mantida nos 65 anos.

No comunicado, o Sindicato dos Trabalhadores dos Transportes defende, ainda, que o decreto-lei, que altera o Código da Estrada, "deixa sérias dúvidas sobre qual a proteção social a que os motoristas, que aos 65 anos forem considerados inaptos para desempenhar as suas funções, têm direito".

Lusa

  • Atentado "falhado" em Nova Iorque
    1:43

    Mundo

    Uma explosão numa das zonas mais movimentadas de Manhattan fez quatro feridos, esta segunda-feira. Entre eles está o homem que transportava o engenho e que foi entretanto detido.

  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.

  • 10 Minutos com Leonor Beleza
    10:27

    10 Minutos

    A nossa convidada desta segunda-feira ainda é conhecida por ter sido ministra da Saúde e pelo seu trabalho à frente da Fundação Champalimaud. Mas desta vez vamos falar com Leonor Beleza sobre os 40 anos da revisão do Código Civil, em que esteve envolvida.

    Entrevista completa