sicnot

Perfil

País

Concelhos de Santarém, Castelo Branco e Coimbra com risco máximo de incêndio

MIGUEL PEREIRA DA SILVA

Quatro concelhos dos distritos de Santarém, Castelo Branco e Coimbra apresentam hoje risco máximo de incêndio, segundo informação do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

De acordo com o IPMA, os concelhos de Mação (Santarém), Oleiros (Castelo Branco), Pampilhosa da Serra e Oliveira do Hospital (Coimbra) estão hoje em risco 'Máximo' de incêndio.

O Instituto colocou também em risco 'Muito Elevado' e 'Elevado' de incêndio vários concelhos de todos os distritos (18) de Portugal continental, exceto Leiria.

O risco de incêndio determinado pelo IPMA engloba cinco níveis, que podem variar entre 'Reduzido' e 'Máximo'.

O cálculo é feito com base nos valores observados às 13:00 em cada dia, relativamente à temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

Quanto ao estado do tempo, o Instituto prevê para hoje no continente céu pouco nublado ou limpo, vento em geral fraco predominando do quadrante norte, soprando moderado de noroeste no litoral oeste, em especial durante a tarde e a norte do Cabo Raso, e de nordeste até ao início da manhã nas terras altas do interior norte e centro.

A previsão aponta ainda para uma pequena subida da temperatura mínima nas regiões do interior e subida da máxima.

Na Madeira prevê-se períodos de céu muito nublado, apresentando-se em geral pouco nublado nas vertentes sul, possibilidade de ocorrência de aguaceiros fracos nas vertentes norte e vento fraco a moderado de nordeste, soprando moderado a forte nas terras altas.

Para os Açores aguarda-se períodos de céu muito com boas abertas tornando-se encoberto, aguaceiros fracos a partir da noite e vento sudoeste moderado a fresco com rajadas até 50 quilómetros por hora.

No que diz respeito às temperaturas, em Lisboa vão variar entre 17 e 32 graus Celsius, no Porto entre 15 e 27, em Vila Real entre 17 e 34, em Viseu entre 18 e 35, em Bragança entre 16 e 35, na Guarda entre 17 e 33, em Coimbra entre 14 e 32, em Castelo Branco entre 21 e 37, em Portalegre entre 20 e 36, em Santarém entre 15 e 35, em Évora e Beja entre 16 e 37, em Faro entre 20 e 30, no Funchal entre 20 e 25, em Ponta Delgada entre 20 e 25, na Horta entre 19 e 26 e em Santa Cruz das Flores entre 21 e 27.

Lusa

  • Porque erram os árbitros?
    2:03

    Desporto

    Num momento em que a polémica em redor da arbitragem está acesa e que nem o videoárbitro parece ter contribuído para a pacificar o futebol, em Leiria juntaram-se treinadores e homens do apito para se entender porque erram os árbitros.

  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Niassa foi o 4.º lince-ibérico libertado a ser atropelado em Portugal
    1:33

    País

    Uma fêmea de lince-ibérico foi encontrada morta com sinais de atropelamento na A22, próximo de Olhão. A fêmea, criada em cativeiro, tinha sido libertada no Vale do Guadiana em fevereiro de 2017. É o quarto lince-ibérico, que tinha sido libertado na natureza, que morre atropelado em Portugal.

  • "Há uma aceitação do lince no território"
    3:33

    País

    Apesar de já se terem registado em Portugal quatro atropelamentos de linces libertados na natureza, em entrevista à SIC, Pedro Rocha, do Departamento do Alentejo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse que o programa de reintrodução "tem corrido bastante bem", não só devido às condições do habitat e disponibilidade de alimento, mas também porque "há uma aceitação do lince no território". Desde 2015, foram libertados no Vale do Guadiana 33 linces e 16 já nasceram em estado selvagem.

  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • O "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59