sicnot

Perfil

País

Participantes regressam ao recinto do festival "Andanças" após incêndio

EDGAR LIB\303\223RIO

O recinto do festival "Andanças", em Castelo de Vide, já voltou a receber participantes, depois de um incêndio num parque de estacionamento nas imediações ter destruído mais de 400 viaturas.

A Lusa constatou no local que os participantes do festival de dança estavam já a regressar ao espaço e a organização deixou também uma nota na sua página na rede social Facebook pela mesma hora.

"Já regressámos ao recinto e estamos todos bem. Não há feridos graves e as atividades vão retomar brevemente. Graças a uma incrível coordenação por parte dos bombeiros, GNR, Proteção Civil, organização, voluntários e imensa gente que se prontificou para ajudar, tudo correu de forma fluida", referia a mensagem.

A organização contava já retomar esta tarde o evento, admitindo, contudo, algumas alterações na programação.

As causas do incêndio que destruiu hoje 422 viaturas e danificou parcialmente outras nove no estacionamento do festival "Andanças", no distrito de Portalegre, estão a ser investigadas no terreno pela GNR, disse à agência Lusa fonte da força de segurança.

O combate às chamas chegou a mobilizar 171 operacionais, com o apoio de 50 viaturas e de quatro meios aéreos, dois aviões e dois helicópteros.

Lusa

  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.