sicnot

Perfil

País

Atropelamentos registados este ano causaram 24 mortos

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

Vinte e quatro pessoas morreram na sequência de 1.700 atropelamentos ocorridos nos primeiros seis meses do ano, em todo o país, mais 178 face ao período homólogo de 2015, segundo dados divulgados hoje pela GNR.

Nos primeiros seis meses de 2015 e de 2016, foram registados, no total, mais de 3.200 atropelamentos, dos quais resultaram 49 mortos, correspondendo a 14% do total das mortes em acidentes rodoviários registados na área de responsabilidade da Guarda Nacional Republicana.

No primeiro semestre deste ano, foram registadas 24 mortes (menos uma do que em igual período de 2015), 94 feridos graves (mais 11) e 791 feridos leves (mais 66), num total de 1.700 atropelamentos.

Porto (202), Braga (182), Aveiro (142) e Viseu (110) são os distritos com maiores índices deste tipo de sinistralidade, adianta em comunicado a GNR, que está a realizar uma campanha, nas redes sociais, sobre atropelamentos, alertando para a necessidade de reduzir a velocidade junto às passadeiras.

"Os atropelamentos ocorrem muitas vezes por distração, tanto do condutor como do peão", refere a corporação, sublinhando que "as principais vítimas de atropelamentos" são as crianças e os idosos.

Para prevenir estes acidentes, a GNR aconselha os condutores a redobrarem a atenção nas vias habitualmente utilizados pelos peões para passagem, mesmo fora das passadeiras, e a "reduzir a velocidade para um nível que permita imobilizar o veículo no caso de necessidade", em zonas urbanas ou residenciais.

Recomenda ainda aos condutores para não realizarem atividades que provoquem distração, como o uso de telemóvel.

A GNR dirige também algumas recomendações aos peões, como caminharem pelos passeios e atravessarem nas passadeiras, sempre que existam. Quando não existirem, "atravessar pelo lugar mais seguro, a direito, depressa mas sem correr".

Nas bermas, os peões devem caminhar no sentido contrário ao dos veículos, o mais afastado possível da faixa de rodagem, e usar vestuário de cores vivas para uma maior visibilidade, sobretudo durante a prática desportiva,

Outros conselhos passam pelos peões não atravessarem entre viaturas estacionadas, "tomar especial cuidado" ao atravessarem as vias, olhando para ambos os sentidos, e "evitar realizar atividades distrativas", como enviar mensagens e consultar as redes sociais no telemóvel.

Lusa

  • Quando se pode circular pela esquerda? A GNR explica (e fiscaliza)
    5:46

    Edição da Manhã

    A Guarda Nacional Republicana está a promover em todo o território nacional várias ações de sensibilização e fiscalização no sentido de prevenir e reprimir a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda quando não exista tráfego nas vias da direita. O major Paulo Gomes, da GNR, esteve na Edição da Manhã. 

  • "Tudo o que o Benfica está a fazer é uma forma de coação"
    1:59
    Play-Off

    Play-Off

    DOMINGO 22:00

    As queixas do Benfica contra a Federação Portuguesa de Futebol e a Liga foram tema de debate no Play-Off da SIC Notícias. Rodolfo Reis, Manuel Fernandes e Rui Santos acreditam que a posição está relacionada com o clássico Benfica-Porto do próximo sábado. Já João Alves considera que estes comunicados podem prejudicar o Benfica.

  • A primeira vez do Sr. Árbitro
    12:41
  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.