sicnot

Perfil

País

GNR apreende 4,3 toneladas em amêijoa em Alcochete e Lisboa

​A GNR anunciou a apreensão de 4,3 toneladas de amêijoa, avaliadas em mais de 30 mil euros, durante uma operação que decorreu em Lisboa e no Samouco, concelho de Alcochete.

"Durante a ação de fiscalização, no estuário do rio Tejo, foram detetadas várias infrações relacionadas com a pesca profissional, tendo sido apreendidos 300 quilos de amêijoa, cuja apanha está interditada no rio Tejo. Aqui foram ainda apreendidos três artefactos para apanhar bivalves", refere a GNR.

A operação foi efetuada por militares do Destacamento de Controlo Costeiro de Lisboa, com o objetivo de detetar infrações relacionadas com a pesca profissional, captura de espécies proibidas e apanha e transporte ilegal de bivalves.

"Na zona do Samouco, os militares apreenderam um carregamento de quatro toneladas de amêijoa a um homem que não se encontrava licenciado para a prática de apanha de bivalves, nem se fazia acompanhar de documentos que atestassem a sua proveniência", acrescenta.

A GNR refere que os infratores foram identificados e que foram elaborados os respetivos autos de contraordenação.

Os bivalves, por se encontrarem vivos, foram devolvidos ao seu habitat natural.

Lusa

  • "Miúdos de 5 e 6 anos a perguntar: a minha casa ardeu, o meu pai está queimado?"
    4:55
  • Presidente visita zonas afetadas pelos fogos
    2:00

    País

    Numa visita inesperada, o Presidente da República esteve esta manhã em Vouzela, um dos concelhos mais atingidos pelos incêndios. Marcelo Rebelo de Sousa vai estar nos próximos dias no distrito de Viseu.

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.