sicnot

Perfil

País

Registadas duas ondas de calor na última quinzena de julho

© Gleb Garanich / Reuters (Arquivo)

Na última quinzena de julho foram registadas duas ondas de calor nas regiões do Vale do Tejo, Alto Alentejo e interior norte e centro, segundo o Boletim Climatológico do Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

A primeira onda de calor foi registada entre os dias 14 e 19 de julho e abrangeu apenas a região do Vale do Tejo, de acordo com o Boletim Climatológico disponível hoje na página da Internet do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA),

A segunda onda de calor, indica o Instituto, foi registada no período de 23 a 30 de julho nas regiões do interior norte e centro, Vale do Tejo e Alto Alentejo.

Uma onda de calor corresponde a um período de seis dias com temperaturas máximas superiores à média usual para a época e com a existência de noites tropicais, com temperaturas superiores aos 20 graus, segundo o IPMA.

O Instituto adiantou que as estações meteorológicas de Alvega, concelho de Abrantes, distrito de Santarém, Braga e Mirandela, no distrito de Bragança, estiveram sete dias seguidos com temperaturas máximas elevadas.

"De referir que o número de dias com a temperatura máxima superior ou igual a 30 e 35 graus Celsius foi cerca de 1,5 a duas vezes o valor da normal (1971-2000)", é indicado.

Segundo o relatório, cerca de 40% das estações meteorológicas do continente registaram pelo menos 15 dias consecutivos com temperaturas máximas diárias superiores ou iguais a 30 graus Celsius.

"Verificou-se que cerca de 50% das estações meteorológicas do continente registaram pelo menos cinco dias consecutivos com temperatura máxima diária maior ou igual a 35 graus e que 32% tiveram pelo menos um dia com uma máxima maior ou igual a 40 graus", avançou o IPMA.

Segundo o Instituto, as estações com maior número de dias com temperaturas superiores ou iguais a 40 graus (oito dias) foram Pinhão, no distrito de Vila Real, (42,3) Mora (42) e Portel, no distrito de Évora (42,4).

Segundo dados do Boletim Climatológico do IPMA, o mês de julho foi o segundo mais quente desde 1931, com médias de temperaturas máximas e mínimas muito superiores ao normal.

O mês passado foi caracterizado pelo Instituto por valores médios muito altos da temperatura do ar, só ultrapassados em 1989.

O IPMA indica que o valor médio da temperatura do ar foi de 24,33 graus Celsius (em julho de 1989 foi de 24,63), mais de dois graus em relação ao valor médio no período 1971-2000.

Ainda segundo os números do IPMA, o valor médio da temperatura máxima do ar no mês passado foi de 32,19 graus celsius, o mais alto desde 1931.

O valor médio da temperatura mínima, 16,47 graus, também foi ligeiramente superior ao normal e foi o oitavo mais alto desde 1931.

De acordo com o Instituto, o valor médio da quantidade de precipitação (3,1 milímetros) foi inferior ao valor normal (13,8 milímetros).

Lusa

  • Manuel Delgado demitiu-se devido a "grave violação da privacidade"

    País

    O ex-secretário de Estado da Saúde diz que apresentou a demissão para "não perturbar nem criar qualquer tipo de embaraço ao normal funcionamento do Governo". Num comunicado, Manuel Delgado esclarece que foi remunerado pelo trabalho de consultor na Raríssimas "muito antes" da entrada no Governo e acrescenta que respeitou na íntegra todo o quadro legal e ético.

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55

    Economia

    Os trabalhadores independentes vão descontar menos para a Segurança Social já no próximo ano. A taxa vai descer dos 29,6% por cento para os 21,4%. A descida será compensada por um aumento das contribuições pagas pelos patrões. Há também alterações em caso de desemprego e o subsídio de doença passa a ser pago ao fim de 10 dias em vez de 31.

  • Tripulantes da TAP acusam companhia de desrespeitar compromissos
    3:16

    Economia

    O Sindicato que representa os tripulantes da TAP acusa a empresa de estar a violar a lei. A companhia aérea portuguesa denunciou unilateralmente o acordo de empresa com os tripulantes e apresentou novas condições, que o sindicato considera indignas. Diz que os tripulantes fizeram esforços pela companhia no verão e que agora estão a ser desrespeitados.

  • Uma "Árvore da Esperança" pelas vítimas dos fogos
    2:01
  • Bebé nasce com coração fora do peito e sobrevive
    2:06
  • Zapatou volta a eleger os melhores vídeos da internet
    6:28