sicnot

Perfil

País

Risco máximo de incêndio em 11 concelhos

GON\303\207ALO DELGADO

Onze concelhos dos distritos de Faro, Santarém, Guarda e Castelo Branco apresentam hoje risco 'Máximo' de incêndio, segundo informação do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

De acordo com o IPMA, os concelhos de Monchique (Faro), Mação, Sardoal (Santarém), Oleiros (Castelo Branco), Guarda, Celorico da Beira, Gouveia, Fornos de Algodres, Trancoso, Aguiar da Beira e Sabugal (Guarda) estão hoje em risco máximo de incêndio.

O Instituto colocou também em risco muito elevado e elevado de incêndio vários concelhos de todos os distritos (18) de Portugal continental.

O risco de incêndio determinado pelo IPMA engloba cinco níveis, que podem variar entre reduzido e máximo.

O cálculo é feito com base nos valores observados às 13:00 em cada dia, relativamente à temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

O IPMA prevê para hoje no continente céu pouco nublado ou limpo, apresentando períodos de maior nebulosidade no litoral oeste até ao início da manhã, vento em geral fraco do quadrante norte, sendo temporariamente de sudoeste na costa sul do Algarve, soprando moderado, de nordeste nas terras altas até ao início da manhã e para o final do dia, e de noroeste no litoral oeste em especial durante a tarde.

Está também prevista neblina ou nevoeiro matinal, em especial na região centro, pequena descida da temperatura mínima nas regiões norte e centro, em especial no litoral e subida da temperatura máxima, em especial nas regiões norte e interior centro e sul.

Na Madeira prevê-se tempo quente com céu geralmente pouco nublado, apresentando-se geralmente muito nublado nas vertentes norte e na ilha de Porto Santo até meio da tarde.

A previsão aponta também para vento moderado a forte de nordeste, soprando por vezes forte com rajadas até 80 quilómetros por hora nos extremos leste e oeste da ilha da Madeira, e nas terras altas em especial até ao início da tarde e subida de temperatura.

Para os Açores está previsto céu com boas abertas, tornando-se encoberto para a tarde, períodos de chuva fraca ou chuvisco, especialmente a partir do final da tarde e vento sudoeste moderado a fresco com rajadas até 50 quilómetros por hora.

Quanto às temperaturas, em Lisboa vão variar entre 17 e 30 graus Celsius, no Porto entre 13 e 26, em Vila Real entre 14 e 32, em Viseu entre 13 e 31, em Bragança entre 13 e 31, na Guarda entre 13 e 29, em Coimbra entre 15 e 31, em Castelo Branco entre 18 e 35, em Santarém entre 16 e 35, em Évora entre 16 e 38, em Beja entre 15 e 37, em Faro entre 20 e 35, no Funchal entre 25 e 29, em Ponta Delgada entre 22 e 26, na Horta entre 23 e 27 e em Santa Cruz das Flores entre 22 e 27.

Lusa

  • O tempo para hoje
    0:33

    País

    O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê para hoje no continente céu pouco nublado ou limpo, apresentando períodos de maior nebulosidade no litoral oeste até ao início da manhã, vento em geral fraco do quadrante norte, sendo temporariamente de sudoeste na costa sul do Algarve, soprando moderado, de nordeste nas terras altas até ao início da manhã e para o final do dia, e de noroeste no litoral oeste em especial durante a tarde.

  • Mais de 50 detidos pela GNR em 12 horas

    País

    A GNR fez 51 detenções entre as 20:00 de sábado e as 08:00 de hoje, 39 das quais por condução sob efeito do álcool ou sem carta, e três por violência doméstica, segundo um comunicado hoje divulgado.

  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".

  • Monumentos de 7 mil cidades às escuras por 1 hora
    2:51
  • Trump diz que Obamacare vai "colapsar"

    Mundo

    O Presidente norte-americano tentou desvalorizar a derrota política sofrida na sexta-feira no Congresso, ao desistir da revogação da lei de saúde pública do seu antecessor, conhecida como Obamacare, afirmando que esta vai colapsar por si mesma.