sicnot

Perfil

País

Vai ser possível ir de Lisboa ao Algarve de carro elétrico

mobi.e

O primeiro corredor de carregamento rápido vai ser inaugurado e torna possível, a partir de segunda-feira, viajar de carro elétrico de Lisboa ao Algarve sem risco de ficar sem carga no veículo.

O ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, inaugura, na segunda-feira, o primeiro corredor de carregamento rápido para veículo elétrico da rede MOBI.E, com os primeiros quatro postos a entrar em funcionamento.

"A partir de segunda-feira, vai ser possível viajar de Lisboa até ao Algarve de veículo elétrico sem correr o risco de ficar apeado", refere uma informação do Ministério, hoje divulgada.

João Matos Fernandes e o secretário de Estado adjunto e do Ambiente vão utilizar veículos elétricos para se deslocarem entre as áreas de serviço de Palmela e de Aljustrel, onde apresentam o plano do Governo para a mobilidade elétrica até final de 2018.

Além de permitir a deslocação sem interrupções entre Lisboa e o Algarve, o corredor "irá contribuir para a redução de emissões de gases com efeito estufa e simultaneamente para a melhoria da qualidade ambiental a sul do Tejo", salienta o Ministério.

Em fevereiro, o Governo garantiu que iria concluir a Rede MOBI.E com a instalação ou atualização de 174 pontos de carregamento, resultado de um investimento de 1,9 milhões de euros.

Estava previsto o início da instalação dos pontos de carregamento para setembro, para que os veículos elétricos passassem a conseguir fazer viagens por toda a extensão do território português, já que os carregadores rápidos permitem carregar a bateria do veículo em cerca de 30 minutos, explicava o Ministério.

A conclusão da Rede MOBI.E consta de um protocolo entre a INTELI -- Inteligência em Inovação, Centro de Inovação, representante do consórcio IDT MOBI.E e a Agência Portuguesa do Ambiente, entidade gestora do Fundo Português de Carbono.

Este protocolo permite a conclusão da Rede MOBI.E, já prevista desde 2001, através da instalação de 124 pontos de carregamento normal e da atualização tecnológica e instalação de 50 pontos de carregamento rápido.

Lusa

  • Captura ilegal de cavalos-marinhos na Ria Formosa
    3:02

    País

    Há cada vez menos cavalos marinhos na Ria Formosa. Cientistas da Universidade do Algarve dizem que a maior população desta espécie no mundo, que é a que existe na Ria Formosa, está ameaçada devido à captura ilegal para o mercado asiático. Dizem que, se nada for feito para travar este fenómeno, esta espécie protegida pode desaparecer em poucos anos.