sicnot

Perfil

País

Cigarro mal apagado poderá ter provocado incêndio no Andanças

O incêncio no festival Andanças terá tido origem num cigarro mal apagado. Fonte ligada à investigação adiantou à SIC que esta é a hipótese mais provável. Para já a certeza é que o incêndio não começou no interior de nenhum veículo.

Caso se venha a provar que o incêndio foi ateado devido a um cigarro mal apagado, a seguradora do festival terá então de indemnizar os proprietários lesados.

Ainda assim, há alguns objetos de valor que estavam no interior dos veículos, como por exemplo instrumentos musicais, que não estão assegurados.

Carros queimados começam a ser removidos do Andanças

Muito a conta gotas, os 455 veículos queimados no parque de estacionamento do festival Andanças, em Castelo de Vide, começaram a ser removidos ontem ao final do dia.

A GNR instalou um posto móvel junto ao parque de estacionamento e entregou as declarações de libertação das viaturas aos respetivos proprietários. Só depois é que os donos dos carros puderam acionar a assistência em viagem e rebocar os automóveis.

As causas do incêndio ainda estão a ser investigadas.

  • O fim do julgamento do caso BPN, seis anos depois
    2:26

    País

    O antigo presidente do BPN José Oliveira Costa tentou adiar o fim do julgamento principal do caso com um recurso para o Tribunal Constitucional. Apesar disso, a leitura do acórdão continua marcada para esta quarta-feira, quase seis anos e meio depois de os 15 arguidos se terem sentado pela primeira vez no banco dos réus.

  • José Oliveira Costa, o rosto do buraco financeiro do BPN
    3:04

    País

    José Oliveira Costa foi o homem forte do BPN durante 10 anos e tornou-se o rosto do gigantesco buraco financeiro. Manteve-se em silêncio durante todo o julgamento, mas falou aos deputados da comissão de inquérito, para negar qualquer envolvimento no escândalo que fez ruir o BPN.

  • Saída do Procedimento por Défice Excessivo marca debate no Parlamento
    1:40
  • Filhos tentam anular casamento de pai de 101 anos

    País

    O casamento de um homem de 101 anos com uma mulher com metade da idade, em Bragança, está a ser contestado judicialmente pelos filhos do idoso, que acusam aquela que era empregada da família de querer ser herdeira.