sicnot

Perfil

País

Mais de 40 detidos pela GNR durante a noite por conduzirem alcoolizados

Miguel Pereira da Silva / LUSA

A Guarda Nacional Republicana (GNR) deteve na noite passada mais de 40 pessoas por conduzirem sob o efeito do álcool e sete por tráfico de droga, tendo ainda apreendido mais de 300 doses de droga e duas armas.

Em comunicado hoje divulgado, a GNR dá conta da sua atividade operacional entre as 20:00 de sexta-feira e as 08:00 de hoje em todo o país, com vista à prevenção e ao combate à criminalidade violenta, e à fiscalização rodoviária.

Neste âmbito, a GNR deteve 63 pessoas em flagrante delito, entre as quais, 41 por condução sob o efeito do álcool, nove por condução sem habilitação legal, sete por tráfico de estupefacientes e uma por posse de arma proibida.

Quanto a apreensões, foram apanhadas pela GNR, no mesmo período, 260 doses de haxixe, 65 doses de cocaína, uma arma branca e um bastão extensível.

Da fiscalização feita ao trânsito, resultou a deteção de 955 infrações, das quais a GNR destaca 455 casos de condução em excesso de velocidade e 115 de condução com Taxa de Álcool no Sangue superior ao permitido por lei.

A GNR detetou ainda 49 pessoas que não usavam cinto de segurança ou sistema de retenção para crianças, 47 sem a inspeção ao veículo feita e 37 que usavam telemóvel durante a condução.

No que respeita à sinistralidade, ocorreram durante a noite 130 acidentes, dos quais resultaram cinco feridos graves e 49 feridos leves.

Lusa

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.

  • Quando o cancro chega por mero acaso
    1:55

    Mundo

    Cerca de dois terços das mutações que ocorrem nas células cancerígenas devem-se ao acaso, segundo um estudo da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos. Em Portugal, o Diretor do Programa Nacional Doenças Oncológicas alerta para a importância de um diagnóstico precoce e um estilo de vida saudável como forma de reduzir a fatalidade.