sicnot

Perfil

País

35 concelhos do Norte e Centro do país em risco máximo de incêndio

MIGUEL PEREIRA DA SILVA

Trinta e cinco concelhos de 12 distritos, maioritariamente no norte e centro do país, apresentam hoje risco 'Máximo' de incêndio, segundo informação do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

De acordo com o IPMA, na região Norte do país estão em risco máximo de incêndio o concelho de Ponte da Barca, no distrito de Viana do Castelo, os municípios de Póvoa do Lanhoso, Vieira do Minho e Cabeceiras de Basto, do distrito de Braga, as regiões de Ribeira de Pena e Vila Pouca de Aguiar, em Vila Real, as zonas de Valongo e Baião, no Porto e os concelhos de Castelo de Paiva e Arouca, no distrito de Aveiro.

No Centro do país, a situação não é menos perigosa, segundo o IPMA, que atribui risco 'Máximo' de incêndio para os municípios de Castro Daire, São Pedro do Sul, Vila Nova de Paiva, Moimenta da Beira, Sernancelhe, no distrito de Viseu, e para os concelhos de Trancoso, Aguiar da Beira, Fornos de Algodres, Celorico da Beira, Gouveia, Guarda, Sabugal, no distrito da Guarda (Guarda).

Ainda na região Centro, risco máximo também para as zonas de Miranda do Corvo, Arganil, Pampilhosa da Serra, Góis, no distrito de Coimbra, para Figueiró dos Vinhos, Castanheira de Pera e Pedrogão Grande, em Leiria, Oleiros, Sertã e Vila de Rei, no distrito de Castelo Branco, e ainda Mação e Sardoal, no distrito de Santarém.

Para a região Sul, apenas a zona de Monchique, no distrito do Algarve, apresenta o mesmo nível de risco de incêndio.

O resto do país está maioritariamente em risco considerado alto, com praticamente todo o centro e norte sob aviso elevado e muito elevado, para além das já referidas zonas em risco máximo.

No litoral e sul do país a situação é mais serena, com risco de incêndio de moderado a elevado. A exceção é o Algarve, onde praticamente todo o distrito está com risco muito elevado.

No dia de hoje, o concelho de Cascais (no distrito de Lisboa) é a única região do país a apresentar um risco reduzido.

O risco de incêndio determinado pelo IPMA engloba cinco níveis, que podem variar entre 'Reduzido' e 'Máximo'.

O cálculo é feito com base nos valores observados às 13:00 em cada dia, relativamente à temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

Lusa

  • A29 reaberta, A1 e A41 cortadas nos dois sentidos devido a fogos

    País

    A autoestrada A29 que esteve cortada ao trânsito nos dois sentidos, junto de Albergaria-a-Velha, foi reaberta ao trânsito cerca das 16:30, estando interditas a A1 e a A44, disse à Lusa fonte da GNR. Cerca das 16:00 foi decidido encerrar ao trânsito os dois sentidos da A41, no quilómetro 34, junto de Gondomar, devido ao incêndio que lavra há vários dias na zona.A A1 continua cortada ao trânsito nos dois sentidos e, segundo a GNR, a alternativa para os automobilistas que circulem de norte para o sul é seguirem pela A29 ou pelo Itinerário Complementar 1 (IC) ou IC2.

  • Fogo em Arouca com duas frentes ativas
    0:37

    País

    O incêndio em Arouca permanece com duas frentes ativas. O comandante distrital de Aveiro, José Bismarck, sublinha que o terreno acidentado na serra da Freita está a dificultar trabalho dos bombeiros.

  • Três letras de Zeca Afonso

    Cultura

    No dia em que se assinalam 30 anos da morte de Zeca Afonso, Raquel Marinho, jornalista da SIC e divulgadora de poesia portuguesa contemporânea, escolhe três letras do cantor e autor para dizer, em forma de homenagem.

    Raquel Marinho

  • Cunhado do Rei de Espanha em liberdade sem caução

    Mundo

    Inaki Urdangarin vai mesmo aguardar o desenrolar do recurso em liberdade na Suíça, onde o marido da Infanta Cristina tem residência oficial e onde terá de se apresentar às autoridades uma vez por mês, para além de estar obrigado a comunicar qualquer deslocação fora da Europa. De fora fica ainda o pagamento da caução de 200 mil euros pedida pelo Ministério Público espanhol.