sicnot

Perfil

País

Duas casas consumidas pelas chamas no Funchal

Duas habitações foram esta segunda-feira consumidas pelas chamas pelo incêndio que deflagrou na freguesia de São Roque, nas zonas altas do Funchal, e que está "relativamente controlado", informou o presidente da câmara municipal, perto das 21:30.

"Há a lamentar duas casas no Lombo dos Aguiares Santo António, que não foi possível salvar. Uma estava desabitada, porque é de emigrantes", disse Paulo Cafôfo à agência Lusa.

O responsável adiantou que também um armazém de comércio de pneus foi atingido e que dois tanques de fuelóleo explodiram, mas "os bombeiros conseguiram controlar a situação", o mesmo acontecendo com alguns pequenos focos que foram surgindo ao longo da tarde.

O responsável mencionou que este incêndio, que deflagrou pelas 15:30 na freguesia de São Roque e que se alastrou à freguesia vizinha de Santo António, está a ser combatido por 70 operacionais de sete corporações diferentes da ilha, apoiados por 17 viaturas.

O autarca salientou que a evolução da operação vai depender "da situação do vento durante a noite".

Paulo Cafôfo sustentou que existem "meios colocados em todas as frentes de incêndio" e que são expetáveis "alguns reacendimentos, devido ao vento e às elevadas temperaturas".

Pelas 21:30, na zona de Santo António, os termómetros registavam 39 graus centígrados.

O pavilhão do Clube Desportivo de São Roque está a acolher as pessoas desalojadas ou afetadas pelo incêndio e é lá que estão a ser prestados os primeiros apoios.

"Mais do que a área florestal, o importante é salvaguardar as pessoas e os bens", sublinhou Paulo Cafôfo, apontando que, embora a situação seja considerada "controlada, a zona florestal continua a arder".

Lusa

  • Dois jovens atropelados mortalmente no concelho de Montemor-o-Velho
    2:20
  • Manifestação contra mina de urânio junta milhares em Salamanca
    1:39
  • Assalto a Tancos e roubo de armas da PSP podem estar relacionados
    1:24

    País

    O assalto a Tancos e o roubo de armas da PSP, três recuperadas na semana passada, podem estar relacionados. O semanário Expresso avançou este sábado que há suspeitos de terem participado nos dois assaltos e o grupo, ou parte dele, atua principalmente do Algarve, com possíveis ligações a outras organizações espalhadas pelo país ou até transacionais.

  • Cessar-fogo de 30 dias na Síria
    2:07