sicnot

Perfil

País

Polícia Judiciária detém alegado autor de fogo no Funchal

O alegado autor do incêndio que deflagrou nas serras de São Roque, concelho do Funchal, foi esta segunda-feira detido e aguarda o primeiro interrogatório judicial, revelou fonte da Polícia Judiciária.

A mesma fonte adiantou que "a pronta atuação da polícia permitiu chegar perto do local de ignição e, em conversa com os habitantes locais, foi fácil chegar ao suspeito".

O homem, de 24 anos, "tem antecedentes criminais" por fogo posto, disse a fonte da PJ, acrescentando que já "foi entregue no serviço prisional da Cancela, na Camacha, pelas forças de segurança".

O presidente do Governo Regional da Madeira já tinha afirmado existirem indícios de que o incêndio que deflagrou na freguesia de São Roque tinha sido "fogo posto" e que essa possibilidade estava a ser averiguada pela Polícia Judiciária.

O incêndio deflagrou hoje cerca das 15:30 na freguesia de São Roque, tendo duas habitações sido destruídas pelas chamas.

O fogo atingiu também um armazém de comércio de pneus, provocando a explosão de dois tanques de fuelóleo.

O pavilhão do Clube Desportivo de São Roque está a acolher as pessoas desalojadas ou afetadas pelo incêndio e é lá que estão a ser prestados os primeiros apoios.

O incêndio, que se alastrou à freguesia vizinha de Santo António, continuava hoje à noite a ser combatido por 70 operacionais de sete corporações diferentes da ilha, apoiados por 17 viaturas.

Lusa

  • "O FC Porto não merece ser campeão"
    2:23
    Play-Off

    Play-Off

    DOMINGO 22:00

    O empate do FC Porto com o Feirense foi o principal assunto do Play-Off da SIC Notícias, este domingo. Rodolfo Reis mostrou-se insatisfeito com a atitude dos jogadores do FC Porto.

  • Incêndio em Alfragide deixa 12 pessoas desalojadas
    1:59

    País

    Um incêndio destruiu este domingo a cobertura de um prédio de habitação em Alfragide, no concelho da Amadora. Doze pessoas ficaram desalojadas, mas ninguém ficou ferido. Os bombeiros dominaram o fogo em cerca de uma hora, os moradores queixam-se da falta de eficácia no combate às chamas.