sicnot

Perfil

País

Presidente do Governo da Madeira diz haver indícios de fogo posto no Funchal

O presidente do Governo Regional da Madeira afirmou esta segunda-feira existirem indícios de que o incêndio que deflagrou na freguesia de São Roque, no Funchal, foi "fogo posto", o que está a ser averiguado pela Polícia Judiciária (PJ).

"Foi numa zona onde já aconteceu duas ou três vezes. Estou convencido de que foi fogo posto, porque é uma situação que já se repetiu", disse aos jornalistas Miguel Albuquerque, depois de se deslocar ao local afetado pelo incêndio.

O governante referiu que, com os fortes ventos que estão a afetar a ilha, na ordem dos 70 quilómetros/hora, e as elevadas temperaturas registadas (37 graus), "a situação quase que fugia ao controlo".

Segundo o chefe do executivo madeirense, esta situação é "uma questão judicial" e já está entregue à Polícia Judiciária.

"A PJ já esteve a averiguar o que se passou", vincou Miguel Albuquerque, sublinhando que o fogo "começa sempre naquele local e depois há fortes indícios, até por testemunhas, de fogo posto".

Um incêndio deflagrou esta tarde, pelas 15:30, na freguesia de São Roque, nas zonas altas de Santo António, e o fogo alastrou-se à freguesia vizinha de Santo António, estando a ser combatido por sete corporações de bombeiros da região.

Várias pessoas foram retiradas das suas habitações por motivos de segurança, sobretudo por causa da possibilidade de inalação de fumo, que encobre o Funchal.

Lusa

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".