sicnot

Perfil

País

Governo envia reforços para combater fogos na Madeira

Mais duas equipas de combate aos incêndios na Madeira partem de Lisboa nas próximas horas para se juntarem aos operacionais que seguiram esta noite, totalizando 110 elementos, disse à Lusa fonte do gabinete do primeiro-ministro.

Por volta das 22:30 de hoje, saiu de Lisboa a primeira equipa de 36 profissionais, composta por bombeiros, elementos da Força Especial Bombeiros (FEB) da Autoridade Nacional de Proteção Civil, elementos do Grupo de Intervenção Proteção e Socorro da GNR (GIPS) e do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM).

Segundo fonte do gabinete do primeiro-ministro, durante a madrugada de quarta-feira vão partir de Lisboa mais dois aviões da Força Aérea com um total de 74 elementos.

O Governo mobilizou elementos do Regimento de Sapadores Bombeiros de Lisboa, fazendo ainda parte das equipas outros bombeiros voluntários e profissionais, assim como médicos, enfermeiros e psicólogos do INEM.

Além dos 74 homens que partem esta madrugada, vai seguir também equipamento de ajuda ao combate.

O vento forte e as elevadas temperaturas fizeram com que o fogo que lavra nas zonas altas do concelho do Funchal desde a tarde de segunda-feira descesse até ao centro da cidade, provocando caos e pânico entre a população e incêndios em dezenas de casas da zona histórica, que desalojaram centenas de pessoas.

O trânsito está esta noite caótico, com muitos congestionamentos na baixa do Funchal, tendo a Polícia de Segurança Pública (PSP) encerrado as entradas da cidade.

A Lusa constatou no local que é muito difícil respirar, devido ao tempo quente e ao denso fumo, com as pessoas a usarem máscaras. Têm sido audíveis várias explosões, depois de a situação se ter agravado ao final da tarde.

Lusa

  • Força Especial vai ser enviada para o Funchal

    País

    A Força Especial de combate a incêndios vai ser enviada para o Funchal, na sequência do incêndio que começou esta segunda-feira na Madeira. As chamas obrigaram à evacuação de dois hospitais e várias casas. A força de combate é constituída por bombeiros, elementos da GNR e INEM.

  • Ativado Plano Municipal de Emergência do Funchal

    País

    O Plano Municipal de Emergência da cidade do Funchal foi ativado, numa decisão votada por unanimidade, informou a Câmara. "Acaba de ser ativado o Plano Municipal de Emergência, pela Comissão Municipal de Proteção Civil, votado por unanimidade", pode ler-se num documento camarário.

  • Cenário de incêndios agrava-se no Funchal

    País

    O cenário de incêndios registados esta terça-feira no Funchal complicou-se a partir das 18:00, devido ao aumento da intensidade do vento e à alteração da sua direção, havendo algumas zonas com "fogo descontrolado", disse o presidente da câmara, Paulo Cafôfo.

  • Passos explica porque se sentiu irritado com Costa
    0:42

    Economia

    Depois das imagens em que surgiu visivelmente irritado com António Costa, no último debate quinzenal, Passos Coelho veio agora explicar porquê. Na discussão com o primeiro-ministro, o líder do PSD não gostou que Costa tivesse insinuado que a fuga de 10 mil milhões de euros para offshores tenha ocorrido por inação do Governo anterior.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o Presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas de que foi alvo.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.