sicnot

Perfil

País

Presumível autor do incêndio do Funchal será ouvido esta quarta-feira

Presumível autor do incêndio do Funchal será ouvido esta quarta-feira

O presumível autor do incêndio do Funchal será ouvido por um juiz, esta quarta-feira. O coordenador do Departamento de Investigação Criminal da Polícia Judiciária, Eduardo Nunes, explicou à SIC que esta não é a primeira vez que o homem é arguido por fogo posto.

  • Chamas descontroladas no Funchal
    4:04

    País

    Dezenas de casas já foram destruídas pelo incêndio na Madeira e centenas de pessoas realojadas. O presidente da Câmara do Funchal afirmou hoje que o gabinete do primeiro-ministro já foi contactado a propósito da eventualidade de ser necessário enviar meios para apoiar o combate aos incêndios na Madeira.

  • Vento leva chamas rumo ao centro do Funchal
    6:05

    País

    A mudança de direção do vento, que sopra forte, os acessos estreitos e a falta de água estão a dificultar o combate ao incêndio que arde desde ontem na Madeira. O repórter da SIC Paulo Figueira faz um novo ponto de situação.

  • Parabéns! Portugal faz hoje 839 anos

    País

    É dia de cantar os parabéns. Portugal celebra esta quarta-feira 839 anos, depois de a 23 de maio de 1179 o Papa Alexandre III ter emitido a bula "Manifestis Probatum" onde reconhece o território como reino independente.

    SIC

  • Cachalote-pigmeu morreu pouco tempo depois de dar à costa em Lisboa
    1:13
  • Presidente da República apoia reforma "quanto antes" do Tribunal de Contas
    1:13

    País

    O Presidente da República defendeu esta manhã uma reforma do Tribunal de Contas para que se adeque a lei que prevê o controlo das entidades públicas. Para Marcelo Rebelo de Sousa, se a lei der melhores meios de controlo e for de mais rápida aplicação, vai dissuadir casos de má gestão de dinheiros públicos que acabam por resultar em crimes.

  • PSD compara SNS a um "cenário de guerra", Centeno desdramatiza
    2:44

    Economia

    O ministro das Finanças esteve esta amanhã no Parlamento e voltou a não comprometer-se com aumentos salariais na função pública no próximo ano. Deu mesmo a entender que a medida não é prioritária. A discussão passou também pelo Serviço Nacional de Saúde. Centeno desdramatizou as carências mas o PSD comparou o que s passa a um cenário de guerra.