sicnot

Perfil

País

Seguradoras pagam um milhão de euros a 100 carros destruídos no Andanças

​Cerca de 100 automóveis destruídos pelo fogo no festival Andanças, em Castelo de Vide, têm cobertura de incêndio e vão receber um total de um milhão de euros de indemnização, informou hoje a Associação Portuguesa de Seguradores (APS).

"Cerca de um quarto dos veículos que arderam têm cobertura de incêndio", afirma a APS em comunicado hoje divulgado, no qual dá conta de as seguradoras terem contabilizado mais de uma centena de participações ao abrigo da cobertura de incêndio do seguro de danos próprios.

O levantamento, diz a associação, foi feito com base "em informação atualizada" sobre os seguros dos veículos que arderam na quarta-feira em Castelo de Vide.

"A estas participações corresponderá um valor global de indemnizações a pagar ligeiramente superior a um milhão de euros", afirma a APS, depois de ter feito o primeiro levantamento dos danos sofridos pelos proprietários das viaturas sinistradas que tinham contratado o seguro de danos próprios com a inclusão da cobertura de incêndio.

"De acordo com os dados apurados até à data, estima-se que cerca de um quarto destes veículos possui um seguro com a cobertura de incêndio, podendo resolver por esta via a sua situação", afirmou.

A seguradora Liberty Seguros, também em comunicado, anunciou ainda ter decidido, caso venha revelar-se necessário, assumir "todos os sinistros que tenham afetado clientes seus" no incêndio ocorrido a 3 de agosto e que destruiu 422 veículos automóveis e danificou outros nove.

Mas a seguradora ressalva que, no caso de pagar um sinistro não coberto pela apólice, nomeadamente por só cobrir danos a terceiros, se reserva do direito a ser posteriormente reembolsada dos valores pagos de quem venha a apurar-se como culpado.

"A Liberty Seguros assumirá a reparação dos danos dos seus clientes mesmo que estes apenas tenham contratado apólices de responsabilidade civil contra danos a terceiros, evitando o longo tempo de espera característico destes complexos processos, situação que ilibaria a Liberty Seguros de qualquer responsabilidade num incidente como o que ocorreu no festival Andanças", afirma a seguradora no comunicado.

Na quarta-feira à tarde, um incêndio que deflagrou num dos parques de estacionamento do festival de dança e música Andanças, em Castelo de Vide (distrito de Portalegre), destruiu mais de 400 carros, mas não causou danos pessoais.

No total, a GNR registou 444 participações referentes a veículos destruídos ou danificados parcialmente no incêndio.

Lusa

  • Passos explica porque se irritou com Costa
    0:42

    Economia

    Depois das imagens em que surgiu visivelmente irritado com António Costa, no último debate quinzenal, Passos Coelho veio agora explicar porquê. Na discussão com o primeiro-ministro, o líder do PSD não gostou que Costa tivesse insinuado que a fuga de 10 mil milhões de euros para offshores tenha ocorrido por inação do Governo anterior.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas.

  • Luaty Beirão agredido em manifestação em Luanda
    1:27

    Mundo

    Luanda tem sido palco de várias manifestações contra a forma como está a decorrer o processo eleitoral em Angola. Esta sexta-feira, uma dessas manifestações acabou em confrontos com as autoridades. Entre os manifestantes estava o ativista Luaty Beirão.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.