sicnot

Perfil

País

Autarca de Santiago do Cacém justifica viagem a convite da Galp com "relações institucionais"

A Câmara de Santiago do Cacém justificou a viagem do presidente do município a França, para o campeonato europeu de futebol, a convite da Galp, com as "relações institucionais" que a autarquia mantém com a empresa.

Num comunicado enviado hoje à agência Lusa, o gabinete de comunicação da Câmara Municipal de Santiago do Cacém confirma que o presidente da autarquia, Álvaro Beijinha, "esteve em Lyon", em França, a 22 de junho, "a convite do diretor da refinaria de Sines [da Galp]".

Lembrando que "a autarquia tem relações institucionais com a refinaria de Sines há mais de uma década", o mesmo documento explica que "a câmara assume um papel de interlocutor entre o movimento associativo do município e a refinaria de Sines, razão pela qual esta empresa entendeu convidar o município".

E, justifica: "foi nesse âmbito, que o presidente da Câmara aceitou o referido convite".

Com muitos dos trabalhadores da refinaria de Sines a residir no concelho de Santiago do Cacém, a autarquia assina anualmente protocolos com a empresa, que visam "apoios anuais a grupos desportivos e culturais".

"Não existe, contudo, nenhuma dependência de ordem financeira, económica, ou qualquer outra, que ponha em causa a isenção da Câmara Municipal de Santiago do Cacém em relação à empresa Galp Energia", pode ler-se ainda no comunicado.

Além do autarca de Santiago do Cacém, também o de Sines foi hoje criticado pela estrutura local do Bloco de Esquerda (BE) por ter alegadamente aceitado o convite da empresa para viajar até França para ver o jogo da seleção de Portugal, no campeonato europeu de futebol 2016.

Num comunicado em que exigem explicações aos dois autarcas, os bloquistas consideraram que, tendo em conta que a empresa "lhes pagou a viagem", a situação é uma "reprovável promiscuidade entre o poder local e esta empresa gigantesca".

A convite da Galp viajaram para Lyon, em França, para assistir a um jogo da seleção nacional no campeonato europeu de futebol, os secretários de Estado dos Assuntos Fiscais, Fernando Rocha Andrade, da Indústria, João Vasconcelos, e da Internacionalização, Jorge Costa Oliveira, uma situação que tem gerado polémica desde a semana passada, quando veio a público.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.