sicnot

Perfil

País

Cadeia de hipermercados doa bens de primeira necessidade aos bombeiros

Al Behrman

​Os bombeiros das zonas fustigadas pelos incêndios podem abastecer-se gratuitamente de bens essenciais nos hipermercados Continente, disse à Lusa fonte do grupo Sonae.

Para isso, basta que um responsável da corporação se dirija à loja mais próxima e peça os bens de primeira necessidade que mais fazem falta aos bombeiros, que se encontram no terreno a combater os incêndios que lavram no centro e no norte do país.

Caso seja necessário, a empresa também disponibiliza o transporte da mercadoria até aos locais.

Água, barras energéticas e outros bens não perecíveis são os mais necessários para quem está no terreno sujeito a muito trabalho e a altas temperaturas.

Entretanto, a Direção-geral da Saúde avisou que o leite não é um antídoto do monóxido de carbono, principal componente tóxico dos incêndios, lembrando que a inalação de fumos pode provocar danos nas vias respiratórias.

Lusa

  • Circulação retomada na A23, mais de 1.600 operacionais no combate às chamas

    País

    A circulação rodoviária na A23 foi completamente restabelecida ao início da manhã depois de ter estado cortada por causa dos incêndios que, no total, mobilizam mais de 1.600 operacionais e contam com reforço espanhol. Nos vários fogos que atingem o país estão 1.648 operacionais no terreno, apoiados por mais de 500 viaturas e 15 meios aéreos.

  • Marcelo lembra ditadura para deixar elogios à liberdade de imprensa e separação de poderes
    0:29
  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26

    País

    O candidato do PSD à Câmara Municipal de Loures, André Ventura, foi entrevistado esta terça-feira na Edição da Noite da SIC Notícias. Em análise, a polémica em torno das declarações do candidato sobre a comunidade cigana.

    Entrevista SIC Notícias

  • Rajoy nega conhecimento de financiamentos ilegais no PP

    Mundo

    O primeiro-ministro espanhol negou hoje ter conhecimento de um esquema ilegal de financiamento, que envolve vários responsáveis do Partido Popular (PP, direita), que lidera. Durante uma audição no tribunal, Mariano Rajoy garantiu ainda que não aceitou nenhum pagamento ilícito.